Razões para a Guarda do Sábado - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Razões para a Guarda do Sábado

A Bíblia Responde > VX – O Sábado
A Bíblia Responde - Capítulo nº 09 - O Sábado

1. O que é que distingue o verdadeiro Deus dos falsos deuses?

Jeremias 10:10-12 - Mas o SENHOR Deus é a verdade; ele mesmo é o Deus vivo e o Rei eterno; ao seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação. Assim lhes direis: Os deuses que não fizeram os céus e a terra desaparecerão da terra e de debaixo deste céu. Ele fez a terra com o seu poder; ele estabeleceu o mundo com a sua sabedoria, e com a sua inteligência estendeu os céus.

2. Quando S. Paulo quis anunciar o verdadeiro Deus aos idólatras atenienses, como O descreveu ele?

Actos 17:23,24 - Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio. O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;

3. Que disseram os Apóstolos aos idólatras, em Listra?

Actos 14:15 - E dizendo: Senhores, por que fazeis essas coisas? Nós também somos homens como vós, sujeitos às mesmas paixões, e vos anunciamos que vos convertais dessas vaidades ao Deus vivo, que fez o céu, e a terra, o mar, e tudo quanto há neles; Ver também Apoc. 10:6; 14:6,7

4. Que razão é apresentada no quarto mandamento para a santificação do sábado?

Êxodo 20:11 - Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o SENHOR o dia do sábado, e o santificou.

O sábado é o grande memorial da criação e do poder criador de Deus, um constante rememorador do Deus vivo e verdadeiro. O propósito divino em fazer o sábado, e em ordenar que seja santificado, e que o homem nunca O esqueça - o Criador de todas as coisas.

“Sendo o sábado original uma perpétua memória de Deus, e convidando o Criador ao homem para imitar a Deus na observância do mesmo, não pode o homem observar o sábado original e esquecer-se de Deus.” - Prof. E. W. Thomas, M. A., em Herald of Gospel Liberty, de 19 de junho de 1890.

Ao lembrar-nos de que dois terços dos habitantes do mundo são hoje idólatras, e que, desde a queda, a idolatria, com seu séquito de males associados e resultantes, tem sempre sido um pecado dominante; e pensarmos então em que a observância do sábado, conforme foi ordenada por Deus, teria evitado tudo isso, podemos melhor apreciar o valor da instituição do sábado e a importância de observá-lo.

5. Que diz Deus, será o sábado para os que o santificarem?

Ezequiel 20:20 - E santificai os meus sábados, e servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o SENHOR vosso Deus.

6. Quão importante é que conheçamos a Deus?

João 17:3 - E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

7. Existe qualquer perigo de os escolhidos de Deus o esquecerem?

Deuteronómio 8:11 - Guarda-te que não te esqueças do SENHOR teu Deus, deixando de guardar os seus mandamentos, os seus juízos, e os seus estatutos que hoje te ordeno;

8. Que outra razão é apresentada para a guarda do sábado?

Êxodo 31:13 - Tu, pois, fala aos filhos de Israel, dizendo: Certamente guardareis meus sábados; porquanto isso é um sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o SENHOR, que vos santifica.

Santificar significa tornar santo, ou separar para uso santo. A santificação, ou a transformação de seres pecadores em santos, só pode ser operada pelo divino poder criador por meio de Jesus Cristo, pelo Espírito Santo. Em I Cor.1:30 é-nos dito que Cristo para nós foi feito “santificação;” e em Efés. 2:10, acha-se declarado que “somos feitura Sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras.” O sábado, portanto, é um sinal da santificação, e, assim, do que Cristo é para o crente, porque é um memorial do divino poder criador, manifestado na obra da regeneração. É o sinal do poder de Deus, portanto, tanto na criação como na redenção. Para o crente, é a prova, ou sinal, de que conhece o verdadeiro Deus, que, por meio de Cristo, criou todas as coisas, e que, por Cristo, redime o pecador e torna-o são.

9. Que razão especial, possuíam os israelitas para guardar o sábado?

“Porque te Lembrarás que foste servo na terra do Egito, e que o Senhor teu Deus te tirou dali com mão forte e braço estendido; pelo que o Senhor teu Deus te ordenou que guardasses o dia de sábado.” Deut. 5:15

Em seu cativeiro os israelitas haviam até certo ponto perdido o conhecimento de Deus, e se apartado de Seus preceitos. O sábado chegou a ser por eles grandemente desprezado; e em consequência da opressão dos Faraós, especialmente do Faraó do êxodo, como testificam as rigorosas exações, sobre eles exercidas por esse último rei por intermédio de seus feitores, a observância do sábado foi tornada aparentemente impossível. Ver Êxo. 5:1-19. O ponto especial, tanto de reforma como de conflito, imediatamente anterior a seu libertamento do cativeiro, foi sobre a observância do sábado. Moiés e Arão haviam-lhes mostrado que a obediência a Deus era a primeira condição de libertamento. Seus esforços para restaurar a observância do sábado entre os israelitas haviam chegado ao conhecimento do Faraó; dai sua acusação contra eles: “Então disse-lhes o rei do Egito: Moisés e Arão, por que fazeis cessar o povo das suas obras? ide a vossas cargas .... Eis que o povo da terra já é muito, e vós os fazeis abandonar as suas cargas.” Êxo. 5:4 e 5. O libertamento dessa opressão era em verdade, portanto, uma razão adicional e especial para a observância do sábado. Mas o Egito e o cativeiro egípcio simplesmente representam o pecado e a escravidão do pecado. Ver Apoc. 11:8; Osé. 11:1; S. Mat. 2115; Zac. 10:10. Cada um, pois, que foi libertado do pecado, tem, para a observância do sábado, a mesma razão que tinham os israelitas libertos do cativeiro egípcio.

10. Qual diz o salmista haver sido a razão por que Deus tirou o Seu povo do Egito, e pô-lo em Canaã?

“E tirou dali o Seu povo com alegria, e Seus escolhidos com regozijo, e deu-lhes as terras das nações, para que guardassem os Seus preceitos, e observassem as Suas leis.” Sal. 105:43-45.

Seu libertamento do cativeiro do Egito era uma razão para a guarda não somente do quarto mandamento, mas de todo preceito da lei de Deus. Isso está indicado no prefácio ou preâmbulo da lei dada no Sinai: “Eu sou 0 Senhor teu Deus que te tirei da Terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de Mim etc.” Êxo. 20:2 e 3. Ver também Lev. 19:35-37; Deut. 10:19; 15:12-15; 24:17 e 18. Semelhantemente, cada um que, por meio de Cristo, foi libertado da servidão do pecado, Deus convida à obediência, não somente no tocante ã guarda do sábado, mas a todo preceito de Sua santa lei: “Bem-aventurado o homem que fizer isto, e o filho do homem que lançar mão disto; que se guarda de profanar o sábado, e guarda a sua mão de perpetrar algum [qualquer] mal.” Isa. 56:2.


11. Qual É o significado do termo sábado?

Repouso.

Anteriormente à queda, era o divino propósito que o tempo do homem fosse ocupado com trabalho agradável e revigorante, e não cansativo. Gên. 2:15. O trabalho cansativo e exaustivo veio em consequência do pecado. Gên. 3:17-19. Se bem que sob a vigência do pecado, o sábado, portanto, proporcione repouso físico tanto ao homem como aos animais de carga (Êxo. 23:12) de maneira não originalmente intencionada, o descanso físico não era seu desígnio ou propósito original ou primário. Foi ordenada a cessação dos trabalhos comuns da semana, não porque em si mesmos estes sejam incorrectos ou pecaminosos, mas para que o homem pudesse ter um tempo determinado e um período que se repetisse com frequência, para a contemplação do Criador e de Suas obras. Sob o evangelho o
sábado é um sinal de repouso espiritual e de libertamento do pecado. Assim lemos: “Porque aquele que entrou no Seu repouso, ele próprio repousou de suas obras, como Deus das Suas.” Heb.4:10.

12. Quem concede esse repouso do pecado?

“Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomaí sobre vós o Meu jugo, e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.” S. Mat. 11:28 e 29.

O sábado é, pois, um sinal do repouso da alma, concedido por Cristo ao cansado e oprimido pelo pecado.

13. Era o sábado designado a ser um dia de adoração pública?

“Seis dias obra se fará, mas ao sétimo dia será o sábado do descanso, santa convocação.” Lev. 23:3.

Uma convocação é uma reunião de pessoas.

14. Ensina o Novo Testamento esse mesmo dever?

“E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ã cari-dade e âs boas obras; não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns ao outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.” Heb. 10:24 e 25.

15. Que diz Malaquias dos que temem ao Senhor?

“Então aqueles que temem ao Senhor falam cada um com o seu companheiro; e o Senhor atenta e ouve; e há um memorial escrito diante dEle, para os que temem ao Senhor, e para os que se lembram do Seu nome. E eles serão Meus, diz o Senhor dos Exércitos, naquele dia que farei serão para Mim particular tesouro; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve." Mal. 3:16 e 17.

16. Será o sábado observado como dia de adoração, na nova Terra?

“Porque, como os céus novos, e a Terra nova, que hei de fazer, estarão diante de Minha face, diz o Senhor, assim há de estar a vossa posteridade e o vosso nome. E será que desde uma Lua nova até à outra, e desde um sábado até ao outro, virá toda a carne a adorar perante Mim, diz 0 Senhor." Isa. 66:22 e 23.

“Tu nos fizeste para Ti mesmo, e nosso coração não tem repouso enquanto não o encontrar em Ti.” Santo Agostinho
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal