Parábolas de Cristo - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Parábolas de Cristo

A Bíblia Responde > IV – Vida, Parábolas e Milagres de Cristo
A Bíblia Responde - Capítulo nº 04 -  Vida, Parábolas e Milagres de Cristo

1. Que referência se encontra, nos Salmos, ao emprego que Cristo faria das parábolas?

"Abrirei a Minha boca numa parábola; proporei enigmas da antiguidade." Sal. 78:2.

Uma parábola quer dizer, em primeiro lugar, uma comparação, ou semelhança; especificamente é uma história ou narrativa curta, tirada da vida ou da Natureza, por meio da qual se ensina alguma lição importante, ou se tira qualquer instrução moral.

2. De que fonte tirava Cristo de ordinário Suas parábolas?

Da Natureza e dos acontecimentos diários.

3. Por que são notáveis as Suas parábolas?

"As parábolas de nosso Salvador distinguem-se de todas as outras pela clareza, pureza, inteligibilidade, importância da instrução e simplicidade. São na maior parte tiradas dos assuntos comuns da vida, e compreensíveis, portanto, a todos os homens." — Dr. Alberto Barnes, sobre S. Mat. 13:3.
4. Que disse Cristo a seguir a uma de Suas parábolas?

"Quem tem ouvido para ouvir ouça." S. Mat. 13:9.

5. Que pergunta fizeram os discípulos?

"E acercando-se d’Ele os discípulos, disseram-Lhe: Por que lhes falas por parábolas?" S. Mat. 13:10.

6. Qual foi a resposta de Cristo?

"Ele, respondendo, disse-lhes: Porque a vós é dado conhecer os mistérios do reino dos Céus, mas a eles não lhes é dado; porque àquele que tem, se dará, e terá em abundância; mas aquele que não tem, até aquilo que tem lhe será tirado. Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem." S. Mat. 13:11-13.

O objetivo de Cristo em usar parábolas era, portanto, ensinar os mistérios ou verdades do reino do Céu — verdades que não eram necessariamente difíceis de entender, mas que haviam estado por muito tempo ocultas ou obscurecidas pelo pecado, apostasia e tradição — de modo que os espirituais e os desejosos de aprender a verdade, poderiam compreendê-las, e os de mente mundana e destituídos de boa vontade não a entenderiam. Quando Lhe perguntavam o sentido de qualquer parábola, Cristo prontamente a explicava aos discípulos. Ver S. Luc. 8:9-15; S. Mat. 13:36-43; S. Mar. 4:33 e 34.

7. Depois de instruir por meio de parábolas, que pergunta dirigiu Cristo aos discípulos?

"E disse-lhes Jesus: Entendestes todas estas coisas? Disseram-Lhe eles: Sim, Senhor." S. Mat. 13:51.

8. Até que ponto Cristo fazia uso de parábolas?

"Tudo isto disse Jesus por parábolas à multidão, e nada lhes falhava sem parábolas." S. Mat. 13:34.

Parábolas são simples histórias. Todos, jovens e velhos, gostam de ouvir histórias. A narração de histórias é um dos mais bem sucedidos meios de despertar interesse, prender a atenção, bem como de ensinar, ilustrar e acentuar verdades importantes. Cristo, o maior de todos os mestres, assim o reconhecia, e portanto fez uso constante deste método de instrução. Ver o estudo, A Pregação do Evangelho, pág. 592.

9. De que maneira sugeriu Cristo que Seus discípulos Lhe seguissem o exemplo de ensinar verdades evangélicas?

"E Ele disse-lhes: Por isso, todo o escriba instruído acerca do reino dos Céus é semelhante a um pai de família, que tira do seu tesouro coisas novas e velhas." S. Mat. 13:52.

10. Quais são algumas das mais comoventes parábolas de Cristo, e mais de molde a atrair a alma?

A parábola da ovelha perdida, e a do filho pródigo. S. Luc. 15: 3-7, 11-32.

Cada parábola se destina a ensinar alguma grande e importante verdade. As primeiras doze, nesta lista, visam ensinar as seguintes lições, respectivamente:

(1) O bem e o mal na vida, e o juízo.

(2) O valor do evangelho.

(3) A busca da salvação.

(4) A visível igreja de Cristo.

(5) Verdades novas e velhas.

(6) O dever de perdoar aos outros.

(7) Chamadas em várias épocas.

(8) Insinceridade e arrependimento.

(9) Necessidade de justiça.

(10) Vigilância e cuidado na profissão de fé.

(11) Emprego das aptidões.

(12) Separação final dos bons e dos maus.

AS PARÁBOLAS DE CRISTO

O Bom Samaritano —Lucas 10.30-37

A Ovelha Perdida —Lucas 15.4-7

A Moeda Perdida —Lucas 15.8-10

O Filho (perdido) Pródigo — Lucas 15.11-32

O administrador Desonesto — Lucas 16.1-8

O Homem Rico e Lázaro — Lucas 16.19-31

Os Servos — Lucas 17.7-10

A Viúva e o Juiz —Lucas 18.2-5 - Comentário - Sermões

Os Talentos — Lucas 19.12-27

Os Lavradores Maus— Lucas 20:9-16

A Roupa Nova —Lucas 5.36

O Vinho Novo —Lucas 5.37-38

Os Dois Alicerces —Lucas 6.47-49

Os Dois Devedores —Lucas 7.41-43

O Semeador — Lucas 8.5-8

A Lamparina — Lucas 8.16-18

Os Empregados Alertas — Lucas 12:35-40

O Amigo Persistente— Lucas 11:5-8

O Rico sem Juízo —Lucas 12.16-21

O Empregado Fiel —Lucas 12.42-48

A Figueira sem Figos — Lucas 13.6-9

A Figueira sem Folhas — Lucas 21.29-31

A Semente de Mostarda — Lucas 13.18-19

O Fermento — Lucas 13.20-21

Os Convidados, para Festa de Casamento - Lucas 14.7-14

A Grande Festa —Lucas 14.28-33

A Construção duma Torre — Lucas 14.28-33

O Fariseu e o Cobrador de Impostos —Lucas 18.10-14

O Retorno do Proprietário — Marcos 12.1-9

A Semente que Cresce — Marcos 4.26-29

O Joio — Mateus 13.24-30

O Tesouro Escondido— Mateus 13.44

A Pérola — Mateus 13.45-46

A Rede — Mateus 13.47-48

O Empregado Mau — Mateus 18.23-24

Os Trabalhadores na Vinha — Mateus 20.1-16

Os Dois Filhos —Mateus 21.28-31

A Festa de Casamento — Mateus 22.2-14

As Dez Virgens —Mateus 25.1-13

As Ovelhas e as Cabras — Mateus 25.31-36
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal