O Sábado na História - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

O Sábado na História

A Bíblia Responde > VX – O Sábado
A Bíblia Responde - Capítulo nº 09 - O Sábado

1. Quando e por que actos foi o sábado feito?

“E havendo Deus acabado no dia sétimo a Sua obra, que tinha feito descansou no sétimo dia de toda a Sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda Sua obra, que Deus criara e fizera.” Gên. 2:2 e 3.

2. Que divisão do tempo é estabelecida pelo sábado?

A semana.

“Uma das mais extraordinárias confirmações colaterais da história mosaica da criação é a adopção geral da divisão do tempo em semanas, que se estende desde os países cristãos da' Europa às remotas praias do Hindustão, e tem igualmente prevalecido entre hebreus, egípcios, chineses, gregos, romanos e bárbaros nórdicos – de cujas nações algumas tinham pouco intercâmbio com as outras, nem por nome eram conhecidas dos hebreus." -- Introduction to the Critical Study and Knowledge of the Holy Scriptures, de Horné Vol. 1, pág. 69, edição de 1841.

“O sete tem sido antigo e honrado algarismo entre as nações da Terra. Elas têm, desde o princípio, medido seu tempo por semanas A origem disso, segundo expôs Moisés em seus escritos, foi o sábado de Deus.” - Brief  Dissertation on the First Chapters of Genesis, pelo Dr. Lymart Coleman, pág. 26. Gên. 7:4 e 10; 8:10 e 12, mostram que a semana era conhecida ao tempo do dilúvio.

3. A quanto atinge o reconhecimento do sábado do sétimo diz nas várias línguas do mundo hoje?

Seu reconhecimento está muito generalizado.

Faz alguns anos o finado Dr. William Mead Jones, de Londres publicou uma “Tábua da Semana,” mostrando o estilo do ciclo semanal e as designações dos vários dias da semana em cento e sessenta línguas. Essa tábua mostra claramente que o período de sete dias, ou semana, era conhecido desde os tempos mais remotos, e quem nada menos de cento e oito dessas línguas é o sétimo dia chamado sábado ou dia santo. Eis um extracto das línguas mais conhecidas, contidas nessa tábua:

Abissínio Sanbat Sábado
Afgane Shamba Sábado
Alemão Samstag Sábado
Árabe Assabt O Sábado
Arménio Shapat Sábado
Espanhol .Sabado Sábado
Francês Samedi Dia de Sábado
Grego Sabbaton Sábado
He breu Shabbath Sábado
Hindustani Shamba Sábado
Inglés The Sabbath O Sábado
Italiano Sabbato Sábado
Latim Sabbatum Sábado
Malaio Ari-Sabtu Dia de Sábado
Persa Shambin Sábado
Polonês Sobota Sábado
Português Sábado Sábado
Prussiano Sabático Sábado
Russo Subbota Sábado
Turco Yomessabt Sábado

4. Que razão apresentou Deus no Sinai por haver abençoado e separado o sétimo dia como dia santificado de repouso?

“Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a Terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou.” Êxo. 20:11.

5. Que promessa fez Deus a Israel, por intermédio de Jeremias, caso guardassem o sábado?

Será pois que, se diligentemente Me ouvirdes, diz o Senhor, não introduzindo cargas pelas portas desta cidade no dia de sábado, e santificardes o dia de sábado, não fazendo nele obra alguma; então entrarão pelas portas desta cidade reis e príncipes, assentados sobre o trono de Davi, andando em carros e montados em cavalos, eles e seus príncipes, os homens de Judá, e os moradores de Jerusalém: e esta cidade será para sempre habitada.” Jer. 17:24 e 25.

6. Que disse Ele aconteceria caso não santificassem o dia do sábado?

“Mas se não Me derdes ouvidos para santificardes o dia de sábado, e para não trazerdes carga alguma quando entrardes pelas portas de Jerusalém no dia de sábado, então acenderei fogo nas suas portas o qual consumirá os palácios de Jerusalém, e não se apagará.” Jer. 17:27.

7. Que aconteceu à cidade de Jerusalém, ao ser ela capturada por Nabucodonosor, rei de Babilónia?

“E todos os vasos da casa de Deus… levou para Babilónia. E queimaram a casa do Senhor, e derrubaram os muros de Jerusalém; e todos os seus palácios queimaram a fogo.” II Crôn. 36:18 e 19.

8. Por que aconteceu isso?

“Para que se cumprissem a palavra do Senhor, pela boca de Jeremias, até que a Terra se agradasse dos Seus sábados; todos os dias da desolação repousou.” II Crôn. 36:21.

O cativeiro babilónio de Israel, executado por Nabucodonosor e seus filhos, durou setenta anos porque durante 420 anos, ou seis vezes setenta anos ›- desde os dias de Salomão até ao tempo de Nabucodonosor - haviam grandemente negligenciado a observância do sábado. Ver Ezeq. 22:8 e 26; Jer. 25:8-11; 17:24 e 27; II Crôn.

36:15-21. Os setenta anos de desolação repararam os 420 anos de profanação do sábado. Também durante o milénio, ou os mil anos após a segunda vinda de Cristo, toda a Terra estará desolada ou em repouso, por mil anos, por haverem os habitantes do mundo, durante seis mil anos, desrespeitando o sábado. Ver referências a esse período e estados, em Apoc. 20:1-4; Isa. 24:1-6;' Jer. 4:23-27. Os períodos de repouso e desolação da Terra são compensações sabáticas divinamente designadas por causa da irreligiosidade do homem, manifestada na profanação do sábado. São lições impressivas da importância de observar o sábado do sétimo dia, e os resultados de quebrá-lo e desatendê-lo.

9. Depois da restauração de Israel do cativeiro babilónico, que disse Neemias haver sido o motivo do seu castigo?

“E contendi com os nobres de Judá, e lhes disse: Que mal é este que fazeis, promanando o dia de sábado? Porventura não fizeram vossos pais assim, e nosso Deus não trouxe todo este mal sobre nós e sobre esta cidade? E vós ainda mais acrescentais o ardor de Sua ira sobre Israel, profanando o sábado.” Neem. 13:17 e 18.

10. Que diz ele quanto a haver Deus dado o sábado a Israel?

“E sobre o monte de Sinai desceste, e falaste com eles desde os céus, e deste-lhes juízos retos, e leis verdadeiras, estatutos e mandamentos bons, e o Teu santo sábado lhes fizeste conhecer.” Neem. 9:13 e 14.
Note-se que esse texto não diz que Deus fez o sábado então, mas simplesmente que fez Israel conhecer o sábado naquela ocasião. Dele se haviam eles grandemente esquecido em sua permanência no Egito. Ver págs. 361 e 364.

11. Quando aqui na Terra., como considerou Cristo o sábado?

“E chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o Sea costume, na sinagoga, e levantou-Se para ler." S. Luc.4:16.

12. Como reconheceu Cristo a lei do sábado?

“E Ele lhes disse, É, por conseguinte, lícita fazer bem nos sábados.” S. Mat. 12:11 e 12.

Diz William Prynne: “Certo é que o próprio Cristo, Seus apóstolos e os primitivos cristãos durante bastante tempo constantemente observaram o sábado do sétimo dia.” _ Dissertation on the Lord's Day Sabbath, pág. 33.

Morer, erudito clérigo da Igreja da Inglaterra, diz: “Os primitivos cristãos tinham grande veneração pelo sábado, e passavam o dia em devoção e sermões. E não é de duvidar-se que os próprios apóstolos seguissem essa prática, como a esse respeito se lê em vários textos.”_Dialogue on the Lord's Day, de Morer, pág. 189.

Diz o historiador Neander: “A oposição ao judaísmo, muito cedo, realmente, introduziu a festividade particular do domingo, em substituição ao sábado… O feriado do domingo, como todos os outros, foi sempre uma ordenança simplesmente humana, e estava longe das cogitações dos apóstolos estabelecer a esse respeito uma ordem divina _ longe deles e da primitiva igreja apostólica, transferir para o domingo as leis do sábado. Talvez no fim do segundo século, começou-se a fazer uma falsa aplicação dessa espécie, pois por esse tempo os homens consideravam pecado o trabalho aos domingos.”

- Church History, de Neander, tradução de Rose, pág. 186.

Diz o Dr. Lyman Abbott: “A noção corrente de que Cristo e Seus apóstolos mediante Sua autoridade substituíram o sétimo dia pelo primeiro, não tem absolutamente base no Novo Testamento.”

_ Christian Union, de 26 de junho de 1890.

Diz o arcediago Farrar: “A igreja Cristã não efectuou transferência formal de um dia para outro, mas gradual e quase inconsciente.” _ The Voice From Sinai, pág. 167.

13. Qual foi um dos primeiros esforços da igreja romana em favor do reconhecimento do domingo?

Em 196 A. D., Vítor, bispo de Roma, tentou impor a todas as igrejas o costume romano da Páscoa, celebrada cada ano no domingo. Ver a História dos Papas, de Bower, Vol. 1, págs. 18 e 19.

Isto o Dr. Bower, em sua História dos Papas, Vol. 1, pág. 18, descreve como “a primeira tentativa de usurpação papai.”

14. Qual foi um dos principais motivos para a convocação do Concílio de Nicéia, em 325 A. D.?

“A questão referente à observância da Páscoa, agitada no tempo de Aniceto e Policarpo, e depois no de Vítor, estava ainda por decidir-se. Constituiu um dos principais motivos para a convocação do Concílio de Nicéia, sendo, depois da controvérsia ariana, o assunto mais importante a ser considerado.” - Historical View of the Council of Nice, de Boyle, pág. 23, edição de 1836.

15. Como ficou finalmente decidido o assunto?

“O dia da Páscoa foi fixado no domingo que se seguisse à primeira Lua cheia depois do equinocio vernal.” - Idem, pag. 24.

16. Ao insistir na observância desse decreto nas igrejas, que razão para ele apresentou Constantino?

“Não tenhamos, pois, coisa alguma em comum com a vil plebe judia." - Idem, pág. 52.

17. Que já fizera Constantino em 321 A. D., para levar o domingo a posição de preeminência?

Promulgou um edito, dispondo “que os juízes e o povo das cidades, repousem no venerável dia do Sol.” Ver Enciclopédia Britânica, artigo Domingo, e esta obra, pág. 418.

18. A quem atribuiu Eusébio, bispo de Cesaréia, e um dos mais ardorosos sustentáculos de Constantino, a transferência das obrigações do sábado para o domingo?

“Todas as coisas, sejam quais forem, que era dever fazer no sábado, essas NÓS transferimos para o dia do Senhor [domingo].”

- Commentary on the Psalms, citado em Coxls Sabbath Literature, Vol. 1, pág. 361.

19. Que fez Silvestre, bispo de Roma, de 314 até 337 A. D.por sua “autoridade apostólica”, em favor do domingo?

Oficialmente mudou 0 nome do primeiro dia, chamando-o DIA DO SENHOR. Ver História Eclesiástica, de M. Ludovicum Lucium, cent. 4, cap. 10, págs. 739 e 740, edição de Basiléia, 1624.

20. Que decretou o Concílio de Laodicéia em 364 A. D.?

Cânon 29. “Os cristãos não judaizarão no sábado, nem nele permanecerão ociosos, mas trabalharão nesse dia; mas o Dia do Senhor será por eles especialmente honrado.” - A History oƒ the Councils of the Church, por Charles Joseph Hefele, Vol. 2, pág.316

21. Até quando se sabe que os cristãos observaram o sábado?

“Até ao quinto século foi mantida pela igreja cristã a observância do sábado judeu." _ Ancient Cristianity Exempliƒied, por Lyman Colemam, cap. 26. sec. 2.

22. Quão generalizada diz o historiador Sócrates, que escreveu em meados do quinto século, haver sido a observância do sábado por parte das igrejas cristãs de seu tempo?

“Conquanto quase todas as igrejas do mundo celebrem os sagrados mistérios do sábado de cada semana, os cristãos de Alexandria e Roma, contudo, por motivo de alguma. antiga tradição, recusamse a fazer o mesmo.”-Ecclesiastical History, por Sócrates, Livro 5, cap. 22.

23. Que dia observavam na Idade Média alguns dos valdenses?

“Eles guardavam o dia do sábado, observavam a ordenança do baptismo conforme a igreja primitiva, instruíam os filhos nos pontos da fé cristã e nos mandamentos de Deus." _ Church History, de Jones, Vol. 2, cap. 5, sec. 4.

24. Qual dentre os primeiros reformadores suscitou esta questão da observância do sábado?

“Carlstadt defendeu a divina autoridade do sábado do Velho Testamento.”-Life oƒ Luther, pelo Dr. Barnes Scars, pág. 402.

25. Que disse Lutero das ideias de Carlstadt sobre o sábado?

“Em verdade, se Carlstadt escrevesse 'mais acerca do sábado, o domingo teria que lhe ceder o lugar, e o sábado ser santificado.” -- Against the Celestial Bropñets, de Lutero, citado em Life oƒ Martin Luther in Pictures, pág. 147.

26. Que reivindicação .faz agora a Igreja Romana a propósito da modificação do sábado para domingo?

“Perg. - Tendes qualquer outra maneira de provar que a Igreja tem poder de instituir festas por preceito?
“Resp.- Não tivesse ela esse poder, e não poderia haver feito aquilo em que concordam todos os religionistas modernos não poderia haver substituído a observância do sábado do sétimo dia da semana, pela do domingo, o primeiro dia, para cuja mudança não há autoridade escriturística.”--Doctrinal Cathecisfm, pelo Rev.Stephen Keenan, pág. 174.

Por falta de suficiente luz e investigação, e por causa de alguns que se opuseram ao sábado durante a Reforma, foi o domingo levado do catolicismo para a igreja protestante, e é agora afagado como instituição do Senhor. Entretanto, é evidente não ser ele planta Sua, mas obra e resultado da apostasia. Proclama-se, porém, agora uma mensagem de reavivamento da verdade nesse particular convidando a uma genuína reforma. Ver o estudo a seguir.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal