O Professor e sua Obra - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

O Professor e sua Obra

Biblioteca > Livros > Conselhos sobre a Escola Sabatina

Livro: Conselhos sobre a Escola Sabatina

Pág. 89

A Mais Elevada de Todas as Ciências

Apresentar em cada esforço missionário a Jesus Cristo, e Este crucificado, significa muito mais do que as mentes finitas podem compreender. "Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e, pelas Suas pisaduras, fomos sarados." Isa. 53:5. "Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nEle, fôssemos feitos justiça de Deus." II Cor. 5:21. Esta deve ser a preocupação de nossa obra. Se alguém se julga capaz de ensinar na Escola Sabatina, ou na Escola Primária, a ciência da educação, necessita primeiro aprender o temor do Senhor, que é o princípio da sabedoria, para que possa ensinar esta ciência, a mais elevada de todas.
Fundamentos da Educação Cristã, pág. 272.

Escolha de Professores

A instrução dada aos jovens e às crianças não deve ser de caráter superficial. Os professores, como defensores da verdade, devem fazer todo o possível para elevar a norma. Não pode haver coisa pior para vossa Escola Sabatina

Pág. 90

do que colocar como obreiros moços e moças que tenham demonstrado falhas na experiência religiosa. ... Não deveis baixar o padrão em vossas Escolas Sabatinas. Vossas crianças devem ter professores, cujo exemplo e influência sejam uma bênção em vez de maldição. Devem constantemente ter diante de si um elevado sentimento da virtude, pureza e santidade que caracterizam a vida cristã. Suas idéias nesse ponto não devem ser confusas; ninguém proceda imprudente ou ignorantemente nessas questões. Não animeis, por meio da voz ou da pena, homens e mulheres que não tenham valor moral, cuja vida passada demonstre falta de consciência e integridade. Podem ser perspicazes, engenhosos e inteligentes; mas se o coração não está imbuído do Espírito de Deus, se não possuem integridade de caráter, sua influência tenderá a ser terrena em vez de celestial e será prejudicial onde quer que estejam e o que quer que façam.

Temos grande necessidade de homens e mulheres que sintam o pecado e odeiem a iniqüidade; que tenham visão espiritual para discernir as necessidades da causa de Deus e, escondendo-se em Jesus, trabalhem com abnegado e consagrado interesse. Precisamos de jovens que Deus possa aprovar, que tenham piedade prática e espírito pronto para sentir e prevenir o perigo; homens e mulheres que não se exaltem a si mesmos nem procurem ocultar a deformidade da alma sob o manto da piedade; que sintam sua fraqueza e imperfeições de caráter e cuja

Pág. 91

desajudada alma esteja unida a Jesus Cristo. Os que confiam em si mesmos, julgando que sua conduta está acima de críticas, apresentarão trabalho muito imperfeito. Declarou o apóstolo: "Quando estou fraco, então, sou forte." II Cor. 12:10. Reconhecendo sua fraqueza, apegou-se, pela fé, a Jesus Cristo e Sua graça. ...

Todo obreiro da Escola Sabatina que, pela transformadora graça de Cristo, passou da morte para a vida, revelará, em seu próprio coração, a profunda operação do Espírito de Deus. São servos infiéis os que tentam dirigir outros, tendo a pretensão de guiar pessoas no caminho da santidade, enquanto sua própria vida revela o orgulho, o amor dos prazeres e da ostentação. Sua vida não está de acordo com sua profissão; sua influência é uma ofensa a Deus. Precisam de uma conversão perfeita. Têm o coração tão cheio de coisas vis que não há lugar para a verdade que eleva e enobrece. O templo da alma precisa ser purificado, pois é Satanás e não Cristo que lhes habita no coração.

É essencial que se tome cuidado ao colocar homens e mulheres em cargos de confiança. Deveis saber algo referente à sua vida passada e ao caráter que têm desenvolvido. É preferível duplicar as classes sob a direção de obreiros tementes a Deus do que multiplicar professores, cuja influência não esteja de acordo com o santo caráter da verdade que professamos, pois essa influência será desmoralizadora. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 22-26.

Pág. 92

Habilitações Essenciais

Aqueles cujo dever é escolher professores, devem ser prudentes, não insistindo a que entrem para a escola os que não sejam aptos a exercer boa influência. Qual é o comportamento do professor? É pontual? É asseado? Essas qualidades merecem atenção, pois são essenciais ao professor. Como pode ele exigir da classe esses requisitos necessários, a menos que ela tenha um exemplo de pontualidade, asseio, compostura e ordem? Se o professor não está em seu lugar e a classe é deixada a recrear-se, se ele chega atrasado, entrando apressado e ofegante, essa influência conduz à desordem e falta de pontualidade. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 95 e 96.

Mente Equilibrada, Caráter Simétrico

Mentes equilibradas e caracteres simétricos requerem-se como ensinadores em todos os ramos. Não confieis esta obra às mãos de moços e moças que não sabem como tratar com as mentes humanas. Tão pouco sabem eles do poder controlador da graça sobre seu próprio coração e caráter, que precisam desaprender e aprender inteiramente novas lições da experiência cristã. Jamais aprenderam a manter sua própria alma e caráter sob a disciplina de Jesus Cristo e levar-Lhe cativos os pensamentos.

No trato com crianças e jovens deparam-se todas as espécies de caracteres. ... Muitas dessas crianças não tiveram no

Pág. 93

lar o necessário cultivo. Foram lamentavelmente negligenciadas. Algumas foram deixadas a fazer o que bem entendiam; outras foram censuradas e desencorajadas. Pouca delicadeza, porém, e boa disposição têm sido mostradas para com elas, e apenas poucas palavras de aprovação se lhes têm dito. Herdaram o caráter defeituoso dos pais, e a disciplina aplicada por esses caracteres defeituosos foi repreensível na formação do caráter. Não se tem colocado na construção do caráter material sólido.

Não há obra mais importante a fazer do que a educação e cultivo desses jovens e crianças. Os mestres que trabalham nesta parte da vinha do Senhor precisam aprender primeiro como se tornarem senhores de si, mantendo sob controle seu próprio gênio e sentimentos, em sujeição ao Santo Espírito de Deus. Devem apresentar a evidência de não possuírem uma experiência unilateral, porém, mente bem equilibrada e caráter de tal maneira simétrico que neles se possa confiar, por serem cristãos conscienciosos e estarem eles próprios debaixo da orientação do Grande Professor. Fundamentos da Educação Cristã, págs. 266 e 267.

Vestuário e Comportamento

Todo professor da Escola Sabatina deve ser um seguidor de Cristo, e os que não se identificarem como Seus discípulos, mostrando por uma vida coerente que são cristãos, não devem ser convidados para serem professores da Escola Sabatina, pois têm necessidade de que alguém lhes ensine primeiro os

Pág. 94

princípios fundamentais do amor e do temor de Deus. "Sem Mim", diz Cristo, "nada podereis fazer." João 15:5. Assim, quanto valor teria o ensino de quem, por experiência pessoal, nada soubesse do poder de Cristo? Seria grande incoerência convidar tal pessoa para dirigir uma classe na Escola Sabatina; mas é ainda pior permitir que uma classe esteja sob a influência de um professor cujo vestuário e comportamento neguem o Salvador, a quem professa servir.

Os que ensinam na Escola Sabatina devem ter o coração aquecido e fortalecido pela verdade de Deus, sendo não somente ouvintes, mas também cumpridores da Palavra. Devem alimentar-se de Cristo como os ramos se nutrem da videira. O orvalho da graça celestial deve cair sobre eles, para que seu coração seja como preciosas plantas, cujos botões se abram e desenvolvam, espalhando ao redor suave perfume, como flores no jardim de Deus. Os professores devem estudar diligentemente a Palavra de Deus, revelando sempre o fato de que estão diariamente aprendendo na escola de Cristo e são capazes de comunicar a outros a luz que receberam dAquele que é o grande Mestre, a Luz do mundo.

Os professores devem sentir sua responsabilidade, aproveitando toda ocasião para prestar o melhor serviço, de maneira que o resultado seja a salvação de pessoas. Tanto professores como alunos devem estar atentos à importância de manifestar diligência e perseverança no estudo da Palavra de Deus. Devem estar constantemente com Ele, a fim

Pág. 95

de poderem resistir com êxito à indolência e apatia e não serem vencidos por pequenas tentações. Os que professam ser obreiros cristãos não devem ser ociosos ou condescendentes consigo mesmos. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 54 e 55.

Representante da Religião Verdadeira

O obreiro da Escola Sabatina, verdadeiramente convertido, não será moldado segundo os costumes e práticas mundanos, mas permanecerá em independência moral. Seu exemplo estará de acordo com sua profissão, mantendo-se ele separado do espírito e das modas do mundo. Não se desviará de maneira alguma de seu firme propósito de ser um com Cristo, nem cederá um jota de sua atitude de fidelidade a Deus, em oposição ao orgulho, à condescendência com entretenimentos egoístas, ao dispêndio de meios para satisfazer à inclinação ou ao amor da ostentação, mas será um exemplo no espírito, comportamento e vestuário.

Obreiro da Escola Sabatina, queres satisfazer à norma de Cristo ou à do mundo? Oh, queres dizer: "Tomarei a cruz e seguirei a Cristo"? Não queres cultivar Sua ternura em persuadir, Seu fervor em exortar, exemplificando e exaltando os princípios da verdade, manifestando na vida e no caráter o que a religião de Cristo tem feito por ti? Não atenderemos todos nós à exortação do apóstolo: "Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências"? Rom. 13:14.

Há necessidade de apresentar à juventude a verdadeira

Pág. 96

religião, que se provará um poder vital, uma influência que tudo penetra. De uma íntima devoção, surgirão alegria, vivacidade e contínuo crescimento e é essa a religião que a juventude deve contemplar, se deve ser levada a Cristo. Essa espécie de religião deixará nas pessoas seu divino cunho e, pela refrigerante graça de Deus, o que a possui se renovará tanto mental como fisicamente.

Experimentai durante um ano, educadores e professores de nossas Escolas Sabatinas e diárias, e vede se não sois capazes de dizer: "O Senhor operou maravilhosamente em nosso favor, pois muitas pessoas foram trazidas para o Mestre, como preciosos molhos para o celeiro celestial." Testimonies on Sabbath School Work, págs. 44 e 45.

Exame Próprio

O Senhor deseja que os professores de nossas Escolas Sabatinas se examinem para ver se estão ou não no amor de Deus. Na vida de todos os que trabalham na causa divina, virão provações da parte de Deus, para provar o caráter. Os professores devem aprender constantemente e procurar mais completo entendimento, um juízo correto nas coisas de Deus. Há perigo de que os professores, tornando-se tão cheios de confiança e estima próprias que não compreendam as próprias deficiências, tenham idéias estreitas e não se alarguem nem expandam. Não se tornam mais capazes, mas cada vez mais cheios de si. Não têm a Jesus no coração e na

Pág. 97

experiência. O professor deve cultivar suas faculdades, sua voz, a fim de falar distintamente, articulando inteligentemente as palavras. Deve cultivar as faculdades mentais, em vez de deixá-las tão fracas e confusas que não possa explicar ou compreender as doutrinas de nossa fé. Não é apto para a grande e solene obra o professor que não tiver sincera piedade, pureza, abnegação e não for pronto para suportar decepções. É dever do professor testar suas faculdades, seu próprio espírito e, mediante íntimo exame, compreender sua verdadeira posição diante de Deus. ...

O Exemplo do Professor

Se não estiver plenamente qualificada, mas sentir sua responsabilidade, a pessoa que deverá aceitar o cargo de professor fará o máximo possível para aprender. Cultivará a reverência, jovialidade e firmeza. Seja o comportamento de molde a educar a classe a ter pensamentos solenes a respeito de Deus e a reverenciá-Lo. Ao falar de Deus, de Cristo, Seus sofrimentos, Sua ressurreição, como sendo realidade para vós, conquanto as idéias possam ser apresentadas com simplicidade, a linguagem deve elevar a mente muito acima das coisas terrenas, fazendo-lhe sentir que está na presença do infinito Deus.

A Escola Sabatina não é lugar para os que tocam levemente a superfície e, num espírito de leviandade, falam fluentemente acerca de eternas e difíceis verdades, mais elevadas que os céus e mais vastas que os mundos.

Pág. 98

O comportamento da classe representará o caráter do professor no exemplo que eles têm perante si. Se são rudes e irreverentes, e continuam a sê-lo, há para isso uma causa, e o assunto deve ser examinado.

Reverente mas Alegre

O professor pode ser reverente, e todavia alegre. E, em vez de ser falador, deve examinar as coisas profundas de Deus. Qualquer simulação não será natural. Que a classe receba a impressão de que a religião é uma realidade desejável, pois traz paz, descanso e felicidade. Não receba vossa classe a impressão de que a religião consiste num caráter frio e antipático. Que a paz e glória da presença interior de Cristo façam que o rosto revele Seu amor, e os lábios exprimam gratidão e louvor.

Os que têm o hábito de comungar com Deus, refletirão no semblante Sua luz. As crianças odeiam as sombrias nuvens de tristeza. Seu coração corresponde à vivacidade, alegria e amor. Conquanto firme e decidido, não deve o professor ser severo, exigente e ditatorial. Precisa de uma autoridade dignificada; ao contrário lhe faltará a habilidade que o torne um professor de êxito. As crianças discernem prontamente qualquer fraqueza ou defeito de caráter do professor. O comportamento faz sua impressão. As palavras que pronunciais não as moldarão devidamente, a menos que vejam em vosso caráter o modelo. Mais, muito mais que todos os vossos ensinos e lições freqüentemente repetidas, fará o correto caráter cristão, exemplificado na vida diária,

Pág. 99

uma grande obra na edificação do caráter de vossa classe. Deus por tal forma nos relacionou individualmente com a grande teia da humanidade, que inconscientemente contraímos dos outros, com quem estamos em contato, suas maneiras, práticas e hábitos. E não permita Deus que o menor de um desses pequeninos seja deixado a desviar-se do caminho feito para que os remidos do Senhor andem nele. Possua o professor tal piedade prática que o caráter e amor de Jesus sejam nele revelados.

A Escola Sabatina não é um lugar de entretenimento para recrear e divertir as crianças, embora possa ser tudo isso, quando devidamente dirigida; mas é o lugar onde crianças e jovens são educados, onde a Bíblia é aberta ao entendimento, regra sobre regra, mandamento sobre mandamento, um pouco aqui, um pouco ali. É o lugar onde a luz da verdade deve ser comunicada. Nem todos os que ensinam em nossas Escolas Sabatinas se qualificam para esse trabalho. Todo professor deve reconhecer que precisa saber mais; precisa estar mais familiarizado com aqueles com quem tem de tratar e com os melhores métodos de comunicar o conhecimento; e depois de ter feito o melhor que lhe for possível, deve reconhecer que ficou muito aquém. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 95-98.

A Influência do Professor

Nosso caráter e experiência determinam nossa influência sobre outros. A fim de convencer a outros do poder da graça de Cristo, é preciso que,

Pág. 100

em nosso coração e vida, conheçamos esse poder. O evangelho que apresentamos para a salvação de pessoas, deve ser o mesmo pelo qual somos salvos. Unicamente mediante fé viva em Cristo como um Salvador pessoal, é possível fazermos sentir nossa influência num mundo cético. Se queremos salvar pecadores da impetuosa corrente, devemos ter os pés firmados na Rocha, Cristo Jesus.

O estandarte do cristianismo não é um sinal exterior ou o uso de uma cruz ou coroa, mas é aquilo que revela a união do homem com Deus. Pelo poder de Sua graça manifestada na transformação do caráter, deve o mundo convencer-se de que Deus enviou Seu Filho para ser seu Redentor. Nenhuma outra influência que circunda o ser humano tem tanto poder como a de uma vida abnegada. O mais forte argumento em favor do evangelho é um cristão afetuoso e amável. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 115 e 116.

Paciência com os Apostatados

Lembrai-vos de que não podeis ler o coração. Não conheceis os motivos que determinaram as ações que vos parecem errôneas. Há muitos que não receberam a devida educação; seu caráter está deturpado, são ásperos e insensíveis, parecendo maus em todo sentido. Mas a graça de Cristo pode transformá-los. Nunca deveis pô-los de lado ou levá-los ao desânimo ou desespero, dizendo: "Você me decepcionou e não o ajudarei mais." Umas poucas palavras ditas precipitadamente sob provocação - justamente aquilo que

Pág. 101

pensamos que eles merecem - podem romper os laços de influência que ligariam seu coração ao nosso.

A vida coerente, a paciente moderação, o espírito calmo sob provocação é sempre o mais conclusivo argumento e o mais solene apelo. Se tendes tido oportunidades e vantagens que não têm redundado em benefício de outros, considerai isso e sede sempre um professor sábio, cuidadoso e delicado.

A fim de que o lacre tenha uma impressão clara e forte do sinete, não atirais este sobre aquele de maneira precipitada e violenta; cuidadosamente o colocais no lacre plástico e, com calma e firmeza, o apertais até que se tenha endurecido a massa. Tratai de igual modo com os seres humanos. A continuidade da influência cristã é o segredo de seu poder, e isso depende da firmeza com que manifestais o caráter de Cristo. Ajudai os que cometeram faltas, relatando-lhes vossas experiências. Mostrai como, ao cometerdes erros graves, a paciência, bondade e auxílio de vossos coobreiros vos deram ânimo e esperança.

Até ao dia do juízo, nunca sabereis qual a influência da bondosa e considerada conduta para com o incoerente, o irrazoável, o indigno. Quando se nos deparam ingratidão e traição de sagrados encargos, erguemo-nos para mostrar desprezo ou indignação. Isso, justamente, é o que o culpado espera, e está preparado para tal. Mas a bondosa moderação o apanha de surpresa, despertando-lhe muitas vezes os melhores impulsos e o desejo de uma vida mais nobre. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 116 e 117.

Pág. 102

Tolerância Para com os Outros

Todas as relações da vida pedem o exercício do domínio próprio, da paciência e simpatia. Nós diferimos tanto em disposição, hábitos, educação, que variam nossas maneiras de ver as coisas. Julgamos diversamente. Nossa compreensão da verdade, nossas idéias quanto à conduta na vida, não são idênticas em todos os aspectos. Não há duas pessoas cuja experiência seja a mesma em todos os particulares. As provações de uma não são as da outra. Os deveres que uma pessoa acha leves, são para outra os mais difíceis e embaraçosos.

Tão frágil, tão ignorante, tão sujeita a errôneas concepções é a natureza humana, que cada indivíduo deve ter cuidado em sua maneira de apreciar os outros. O que dizemos e fazemos pode parecer-nos de pouco importância, ao passo que, se nos fossem abertos os olhos, poderíamos ver que disso dependiam importantíssimos resultados para o bem ou para o mal. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 117.

Aperfeiçoamento Próprio

Visto que há tanta leviandade de caráter, tanta impureza ao redor da juventude, mais necessidade há de que as palavras, atitudes e procedimentos do professor representem o que é elevado e verdadeiro. As crianças estão prontas para descobrirem o fingimento, ou qualquer outra fraqueza ou defeito. O professor não poderá impor-se ao respeito de seus discípulos de nenhuma outra maneira a não ser revelando em seu próprio caráter os princípios que ele procura ensinar-lhe. ...

Pág. 103

A utilidade do professor não depende, porém, tanto das aquisições intelectuais que possua, como da norma que ele tenha por objetivo. O verdadeiro professor não se contenta com pensamentos estreitos, espírito indolente ou memória inculta. Procura constantemente consecuções mais elevadas e melhores métodos. Sua vida é de contínuo crescimento. No trabalho de um professor nestas condições, há um frescor e poder vivificador que despertam e inspiram seus discípulos. ...

Precisam-se professores que sejam rápidos no discernir e aproveitar toda oportunidade para fazer o bem; professores que combinem a verdadeira dignidade com entusiasmo; que sejam capazes de dirigir e "aptos para ensinar" (I Tim. 3:2); que possam inspirar pensamentos, despertar energias e comunicar ânimo e vida.

As vantagens de um professor podem ter sido limitadas, de modo que ele poderá não possuir habilitações literárias tão elevadas como se poderia desejar. Todavia, se ele tem um conhecimento profundo da natureza humana; se tem um genuíno amor por sua obra, apreciação de sua grandeza e decisão de se aperfeiçoar; se ele está disposto a trabalhar fervorosamente, perseverantemente, compreenderá as necessidades de seus discípulos, e pelo seu espírito de simpatia e progresso inspirá-los-á a prosseguir, procurando guiá-los avante e para cima.

As crianças e jovens sob os cuidados do professor diferem largamente em disposição, hábitos e educação. Alguns não têm nenhum propósito definido ou princípios fixos. Precisam ser despertados para as suas responsabilidades e possibilidades. ...

Aquele que enxerga as oportunidades e privilégios

Pág. 104

de sua obra não permitirá que coisa alguma impeça o caminho para os ardorosos esforços no sentido do aperfeiçoamento próprio. Não poupará esforços a fim de atingir a mais elevada norma de excelência. Tudo que ele deseja que seus discípulos se tornem, ele mesmo se esforçará por ser. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 118 e 119.

Professores Mais Habilitados

Precisamos de professores consagrados, que amem a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmos. O Senhor tomou amplas providências para que, sábado após sábado, os professores aumentem sua capacidade, a fim de ensinar com um propósito em vista, trabalhando para o tempo e a eternidade. A fim de comunicarmos aos outros as preciosas lições ensinadas por Cristo, necessitamos, em nossas escolas, de moços e moças possuidores, não de uma experiência superficial, mas de verdadeira e profunda piedade interior, obtida diariamente na escola de Cristo.

Os que se satisfazem com seguir certa ordem inflexível, jamais variando, perderão o alvo e deixarão de fazer a obra destinada ao professor da Escola Sabatina; mas serão colaboradores de Deus os que se empenham nesse importante ramo da causa divina, fazendo no temor de Deus a obra por Ele designada e trabalhando com amor, pelas pessoas por quem Cristo morreu. ...

Os Professores Devem Ser Exemplares

No espírito, comportamento e vestuário, devem os professores ser um digno exemplo aos jovens. Seu traje deve ser

Pág. 105

simples e modesto e seu espírito tão humilde como o de uma criança, mas puro e elevado, pois estão na presença de Deus, para representar aos alunos o caráter de Cristo. Com devoção e ternura, devem ensinar aos que lhe forem confiados, lembrando-se das palavras de Jesus: "Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos nos Céus sempre vêem a face de Meu Pai que está nos Céus." Mat. 18:10. ...

Se os professores sempre tivessem em mente que é o Espírito Santo que revela à pessoa vislumbres das coisas celestiais e que, ao trabalhar no espírito de Cristo, esse agente celestial está impressionando a mente com a divina verdade; se compreendessem que os rodeiam anjos e que pisam em terra santa, seria muito mais eficiente o trabalho feito em nossas Escolas Sabatinas. Os professores não seriam destituídos de graça e poder espirituais, pois teriam a intuição da presença divina e compreenderiam que são apenas os instrumentos humanos por cujo intermédio Cristo comunica luz celestial. Seu labor seria animado de fervor e poder, e saberiam que o Espírito os ajuda em suas fraquezas. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 41-43.

Cristo é o Modelo, não o Homem.

Não deve o professor da Escola Sabatina seguir o exemplo dos que não crescem no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, embora

Pág. 106

esse exemplo seja dado pelos que ministram no santo púlpito. Os que desejam ser aceitos como coobreiros de Deus não devem imitar o tom, maneiras ou idéias de qualquer outro homem. Devem aprender de Deus e ser dotados de sabedoria celestial. Deus deu o dom da razão e do intelecto a um obreiro como a outro e, de acordo com vossa capacidade, deveis negociar com vossos talentos. O Senhor não quer que nenhum obreiro seja a simples sombra de outro a quem admira. O professor deve crescer até à estatura de Cristo e não até à de um finito e falível mortal. Deveis "crescer na graça" (II Ped. 3:18), e onde se encontra ela? Só em Cristo, o modelo divino.

Que todos contemplem a Jesus e O imitem. Que todo obreiro exercite o máximo possível suas faculdades para trabalhar em harmonia com o plano de Deus. Aprenda ele na escola de Cristo, para poder ser sábio em instruir a outros. Os que, na Escola Sabatina, estão entregues ao cuidado do professor, necessitam da sabedoria e experiência que Deus pode dar ao seguidor de Cristo. Aprenda o professor a mansidão e humildade de coração reveladas em Cristo, a fim de ser um verdadeiro mestre e conquistar seus alunos para Cristo, para que eles, por sua vez, se tornem fiéis missionários na grande seara. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 76 e 77.

Amor, o Poder que Constrange

Há muito pouca simpatia no trabalho em favor das pessoas. Não existe aquele poder de suplicar, convidar e atrair,

Pág. 107

o qual Deus exige que exerçamos, a fim de pessoas serem reconciliadas com Ele. Se ensinarmos a verdade como é em Jesus, a religião não será considerada coisa enfadonha, mas deleite. Coloquem os professores, em seu trabalho, alegria, gratidão e a alma cheia de ternura e compaixão à semelhança de Cristo, e imbuam o coração dos alunos com o espírito de abnegado amor, pois é esse espírito que enche o Céu. Não deixarão os professores da Escola Sabatina todo orgulho e amor-próprio, tornando-se sinceros e fervorosos cumpridores da Palavra? "Revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências." Rom. 13:14. A fé genuína confia em Cristo, com implícita submissão, consentindo em segui-Lo aonde quer que Ele vá. Quando isto se cumpre, em resultado de bem dirigidos esforços, muitas pessoas serão levadas ao Mestre como preciosos molhos.

Desde seus mais tenros anos, devem os pais e professores procurar impressionar a mente das crianças com a importância da salvação. Devem ensinar-lhes que Deus é seu Pai celestial e que Seu amor por elas se manifesta no dom de Seu unigênito Filho, e que, ao vir a este mundo para morrer a fim de que pudéssemos viver, revelou o Salvador do mundo Seu amor por elas. Quando apresentadas em amor e ternura, deixarão essas lições, duradoura impressão na mente e coração da juventude. Como as imagens e objetos se refletem ao espelho, quando revelados pela luz do Sol, assim esses

Pág. 108

temas se refletirão na mente, quando iluminados pelo amor de Cristo. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 100 e 101.

Simplicidade e Simpatia

Que importantes lições serão dadas às crianças e aos jovens, ao abrirmos as Escrituras com a simplicidade de Cristo! Que o professor deixe em casa todos os termos difíceis e elevados, tomando apenas as palavras mais simples, que sejam prontamente apreendidas pela mente juvenil.

Mas para sermos professores de êxito, não só devem ser simples os métodos de ensino, mas também devemos levar à Escola Sabatina simpatia e amor. As crianças reconhecerão esse elemento e por ele serão influenciadas. Homens e mulheres são apenas crianças grandes. Não correspondemos nós a palavras e olhares de verdadeiro amor e simpatia? Jesus, o divino Mestre, certificou os discípulos de Seu amor por eles. Assumiu a natureza humana com o único propósito de patentear aos homens a misericórdia, o amor e a bondade de Deus ao prover salvação e felicidade a Suas criaturas. Foi para isso que Ele morreu. Ao pronunciar Suas mais ternas palavras de simpatia, regozijava-se no pensamento de que pretendia fazer tudo "muito mais abundantemente" (Efés. 3:20) do que os discípulos seriam capazes de pedir ou pensar. Mostrava-lhes diariamente, em obras de misericórdia, quão grandes eram Sua ternura e amor pela raça caída.

Pág. 109

Seu coração era um manancial de inesgotável compaixão onde a alma sequiosa podia suprir-se com a água da vida.

Quando Jesus falava, o povo se maravilhava de Sua doutrina, pois ensinava-os como tendo autoridade e não como os escribas, que se haviam esforçado por estabelecer e sustentar suas teorias, procurando manter sua influência sobre o povo por meio de interminável repetição de fábulas e infantis tradições. O mais elevado padrão de instrução pública consistia, em grande parte, na repetição de frívolas opiniões e de cerimônias sem significação. De maneira mais simples e compreensível, o ensino de Jesus inculcava as idéias mais convincentes e as mais sublimes verdades, e "a grande multidão O ouvia de boa vontade". Mar. 12:37. É essa a espécie de instrução a ser dada em nossas Escolas Sabatinas. A luz celestial deve refletir de Jesus, o maravilhoso Mestre, iluminando a alma das crianças e jovens com a divina glória de Seu amor e caráter. Assim, em bela simplicidade, podem as crianças ser levadas ao "Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." João 1:29. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 39 e 40.

Novos Temas a Serem Apresentados

A alma deve ser como uma casa do tesouro, cheia de ricas e proveitosas provisões. No púlpito, na Escola Sabatina, na reunião de oração e na sociedade, devemos ter novos temas para iluminar a outros. Devemos seguir o exemplo de

Pág. 110

Jesus, o Mestre perfeito. Ele educava homens revelando-lhes o caráter do Deus vivo. Disse Ele: "E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti só por único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, a quem enviaste." João 17:3. É este o importante assunto a ser gravado na ente dos jovens, pois precisam conhecer o caráter paternal de Deus, a fim de serem induzidos a subordinar os interesses temporais aos eternos. Ao contemplarem o caráter de Deus, ser-lhes-á criado no coração um intenso desejo de transmitir a outros a beleza e poder da verdade.

O Poder Transformador da Religião

Oh, que todo homem, mulher e criança, que trata com mentes humanas, tenha a verdade entrelaçada na alma, revelando-a em espírito, palavra, caráter e ação! Pelo poder santificador da verdade, os que ensinam na Escola Sabatina ou ocupam um cargo em nossas instituições, devem ser levados a ter tal experiência que possam declarar: "Eu sei em quem tenho crido." II Tim. 1:12. Há, na religião de Jesus Cristo, um poder transformador e, para que nos tornemos a luz do mundo, deve esse poder ser visto em nós, em forma de muito mais humildade, mais fervor e fé viva. O eu deve ser humilhado e Cristo, exaltado. Por que se exaltam tão facilmente aqueles a quem Deus confiou algum trabalho na Sua vinha moral?

Pág. 111

Perguntas que Tocam o Coração

Por que pensam muitos que um cargo de responsabilidade exalta o homem? Por que se tornam tão orgulhosos, quando são inteiramente dependentes do Sacrifício expiatório? Por que existe em alguns tanta falta de ternura, tão pouco serviço amorável? É porque os orgulhosos não caíram sobre a Rocha, despedaçando-se. É por isso que há tão pouca confiança em Deus, tão pouco fervor e contrito arrependimento, tão grande falta de fervente oração. Perguntem-se todos os professores: "Recebi eu o Espírito Santo depois de haver crido? Recebi eu a Cristo como meu Salvador pessoal?" Sejam essas perguntas solenemente respondidas.

Cada Momento Vale Ouro

Se forem cristãos os que se empenham na obra de Deus, esse fato se revelará em seu trabalho. Apresentarão Cristo às pessoas com quem entrarem em contato. Os professores da Escola Sabatina não ocuparão o tempo com assuntos sem importância, pois compreenderão que cada momento é de ouro e deve ser empregado em diligente trabalho na vinha do Mestre. A obra de Cristo no santuário celestial, apresentando a cada momento Seu próprio sangue perante o propiciatório, ao interceder por nós, deve impressionar-nos o coração para que compreendamos o valor de cada momento. Jesus vive sempre para interceder por nós, mas um momento gasto descuidadamente nunca poderá ser recuperado.

Pág. 112

Considerem professores e alunos o grande fato de que Cristo nunca cessa Sua solene obra no santuário celestial e, se levarem Seu jugo, empenhar-se-ão em trabalho idêntico ao de sua Cabeça viva. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 85 e 86.

O Semblante Demonstra o Caráter

Os professores das diferentes classes devem ter no coração a cada criança, vigiando-a com especial cuidado.

É impossível fazer esse trabalho para o tempo e a eternidade, a menos que o professor mantenha íntima comunhão com Deus. Disse Jesus: "Examinai as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de Mim testificam." João 5:39. Não animeis uma maneira superficial de pesquisar a verdade. Tornai, à mente das crianças, claro e distinto cada ponto da verdade. Não lhes amontoeis no espírito, de uma vez, uma acumulada soma de assuntos. A preciosa Palavra de Deus lhes é uma lâmpada para o caminho e uma luz para os pés. Gravai-lhes no coração que é seu privilégio andar na luz. É o caminho da paz, da pureza, da santidade, que deve ser seguido pelos redimidos do Senhor. Nesse caminho, Cristo é o Guia, o verdadeiro Pastor; seguindo-O, evitarão os atalhos e perigosos abismos.

Na palavra de Deus, aprendem elas que todos os que entrarão no Céu devem ter um caráter perfeito, a fim de encontrarem o Senhor em paz. Muitas crianças

Pág. 113

e jovens têm o caráter impresso no semblante. Apresentam nos traços fisionômicos a história de sua vida. Os verdadeiros obreiros devem imprimir no espírito das crianças um belo e puro caráter, semelhante ao de Cristo, o qual lhes transformará a fisionomia. Se Cristo for o princípio permanente do coração, a pureza, o enobrecimento, a paz e amor se estamparão nas feições. Outros semblantes apresentam os sinais de um mau caráter; egoísmo, astúcia, engano, falsidade, inimizade e ciúme acham-se neles expressos. Quão difícil é que a verdade transforme o coração e a fisionomia de tais caracteres!

Cultivo do Caráter

Precisamos agora dar especial atenção ao cultivo do caráter. Haja em vós o mesmo espírito que houve em Cristo Jesus, a fim de que tanto o maior como o menor obreiro de nossas Escolas Sabatinas sejam elevados e enobrecidos, de maneira que Jesus não Se envergonhe de os reconhecer como Seus colaboradores. Cristo proveu Seus filhos de toda cultura espiritual. Se Jesus habitar na pessoa, o coração se enche das santas graças de Seu Espírito, manifestando-se na transformação das feições. Se desejais ter beleza e amabilidade de caráter, a lei divina deve estar escrita no coração e ser praticada na vida. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 20-22.

Tornar Prática a Lição

Entrem os professores, de coração e alma, no assunto da lição. Elaborem planos para fazer aplicação prática da

Pág. 114

lição e despertar interesse na mente e coração das crianças sob seu cuidado. Que as atividades dos alunos tenham como propósito solucionar os problemas da verdade bíblica. Os professores podem dar feição à obra, de maneira que os exercícios não sejam insípidos e desinteressantes.

Os professores não fazem dos exercícios da Escola Sabatina o fervoroso trabalho que deviam ser; devem aproximar-se do coração dos alunos, com tato, simpatia, paciente e determinado esforço, a fim de interessar cada estudante relativamente à salvação de sua alma. Esses exercícios devem tornar-se o que o Senhor deseja que sejam ocasiões de profunda convicção de pecado, de reforma do coração. Se se fizer o devido trabalho, de maneira hábil e cristã, pessoas serão convencidas e a pergunta será: "Que devo fazer para me salvar?" Testimonies on Sabbath School Work, págs. 12 e 13.

O Uso de Auxiliares

Têm-se feito alguns esforços no sentido de interessar as crianças na obra, mas isso não basta. Nossas Escolas Sabatinas devem tornar-se mais interessantes. Ultimamente, as escolas públicas têm melhorado grandemente seus métodos de ensino. Lições objetivas, gravuras e quadros-negros são usados para que à mente juvenil se tornem claras as lições difíceis. De igual maneira podemos simplificar a verdade presente, tornando-a intensamente interessante ao espírito ativo das crianças.

Por meio dos filhos, freqüentemente atingem-se os pais que, de outra maneira, não poderiam ser alcançados.

Pág. 115

Os professores da Escola Sabatina podem instruir as crianças na verdade e elas, por sua vez, a introduzirão no círculo doméstico. Mas poucos professores parecem compreender a importância desse ramo da Obra. Os modos de ensino, que com tanto êxito, são adotados nas escolas públicas, podem, nas Escolas Sabatinas, ser empregados com idêntico resultado, tornando-se o meio de levar crianças a Jesus e educá-las na verdade bíblica. Isso produzirá muito mais benefício do que avivamentos religiosos de caráter emotivo, que passam tão rapidamente como vêm.

Deve ser acariciado o amor de Cristo. Necessitamos de mais fé na obra que, cremos, deve ser feita antes da volta de Cristo. Deve haver, na devida direção, mais renúncia e abnegado esforço. Deve-se estudar, com meditação e oração, como trabalhar da melhor maneira. Devem-se elaborar cuidadosos planos. Há, entre nós, mentes capazes de delinear e executar, se tão-somente forem postas em ação. A bem dirigidos e inteligentes esforços, seguir-se-ão grandes resultados. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 9.

Erros Apontados

A Escola Sabatina, devidamente dirigida, é um dos grandes instrumentos divinos para trazer pessoas ao conhecimento da verdade. Não é o melhor plano falarem os professores, unicamente, mas devem levar a classe a dizer o que sabe. Então, com umas poucas observações ou ilustrações claras e breves, deve o professor gravar-lhes na mente a lição.

Pág. 116

Sob circunstância alguma, devem os professores passar a lição mecanicamente, sentando-se então e deixando as crianças a olhar em derredor, a cochichar e brincar, como as temos visto. Tal ensino não é benéfico; é, muitas vezes, prejudicial. Se o professor estiver preparado, cada momento poderá ser usado com proveito. A mente ativa das crianças deve estar constantemente ocupada. Suas idéias devem ser externadas e corrigidas, ou aprovadas, como o caso requeira. Mas nunca deve o professor sentar-se, dizendo: "Já terminei." Testimonies on Sabbath School Work, págs. 18 e 19.

Indolência Espiritual

Em algumas Escolas Sabatinas, dão-se cargos a pessoas que não têm aptidão para ensinar. Não sentem sincero amor pelas pessoas. Elas próprias não entendem metade dos princípios práticos da verdade. Como podem, então, conduzir as crianças e jovens à Fonte viva? Que os próprios professores bebam a largos sorvos da água da salvação; os anjos de Deus serão seus ministradores, e saberão precisamente qual o rumo que o Senhor deseja que tomem, a fim de conquistar para Jesus a preciosa juventude. Isso exige aptidão, vontade, perseverança, um espírito como o manifestou Jacó ao lutar em oração, exclamando: "Não Te deixarei ir, se me não abençoares." Gên. 32:26. Ao repousar sobre os professores, a bênção divina não deixará de refletir-se sobre os que estão ao seu cuidado. Nunca deveis colocar a juventude sob a orientação de indivíduos espiritualmente indolentes, os quais

Pág. 117

não possuam altas, elevadas, santas aspirações, porque o mesmo espírito de indiferença, farisaísmo e formalidade, será visto tanto nos professores como nos alunos. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 13.

Controvérsia na Classe

As lições ensinadas na Escola Sabatina devem ser de molde a iluminar o coração e a mente. E para que isso se realize, devem os professores estar sob a influência do Espírito Santo, vencendo todo egoísmo, toda palavra precipitada e ato inconsiderado, a fim de que a graça de Deus se manifeste cooperando com o esforço humano para a salvação de pessoas. Deve ser esse o grande objetivo da Escola Sabatina. Não deve esta tornar-se lugar de controvérsia; não se devem ali manifestar diferenças de opinião. Mantenha-se a harmonia, conservando fora da escola essa espécie de trabalho. Quando se manifestarem idéias que sejam debatidas pelos membros, não se levante espírito combativo, seguindo-se discussões e controvérsias. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 51 e 52.

Ler a Lição

Lamento dizer que em algumas escolas prevalece o costume de ler a lição. Isso não deve ser assim. Não precisaria ser assim, se o tempo, que muitas vezes é empregado desnecessária e até pecaminosamente, fosse destinado ao estudo das Escrituras. Não há motivo de as lições da

Pág. 118

Escola Sabatina serem aprendidas, por professores e alunos, com menos perfeição do que as lições da escola diária. Devem ser melhor aprendidas, pois tratam de assuntos infinitamente mais importantes. Essa negligência é desagradável a Deus. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 10.

Estudo Superficial

Cada professor deve reconhecer que é um missionário de Deus. Deve aproveitar seus momentos e capacidade para obter conhecimentos da Palavra divina, a fim de poder transmiti-los aos alunos. Os professores que não estudam, tornam-se incompetentes para o cargo. Em seu trabalho, precisam ter vivacidade de idéias, sábios e vigorosos planos, vida e tato. Devem ser aptos para ensinar.

O professor não deve limitar-se a repetir as palavras da lição, mas precisa estar familiarizado não só com as palavras como com as idéias. Todo professor, antes de assumir a direção de sua classe, deve ter distintamente delineados na mente planos referentes ao que precisa fazer naquele dia e naquela ocasião. Recitar uma lição perante a classe não é ensiná-la; deveis ter palavras simples, e expor clara e distintamente as idéias. Assegurai-vos de que vossos alunos vos entendem. Se não vos compreendem as idéias, vosso trabalho está perdido. Não toqueis levemente a superfície; cavai fundo. A Bíblia é a regra e guia da vida. A mente e o coração dos jovens devem ser levados em contato imediato com a sã doutrina;

Pág. 119

assim produzirão frutos, pois se verá a prática sã, como resultado de vossos esforços. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 24.

Observações Longas e Cansativas

Os que instruem crianças devem evitar observações enfadonhas. Comentários curtos e ao ponto exercerão influência positiva. Se houver muita coisa a dizer, compensai a brevidade com a freqüência. Umas poucas palavras de interesse, de vez em quando, serão mais benéficas do que se forem ditas de uma só vez. Longos discursos sobrecarregam a mente limitada das crianças. Conversa demais levá-las-á a ter aversão até mesmo pela instrução espiritual, justamente como comer demais sobrecarrega o estômago e diminui o apetite, levando mesmo a repugnar o alimento. A mente das pessoas pode ser sobrecarregada com demasiado falatório. O trabalho pela igreja, e especialmente pela juventude, deve ser feito regra sobre regra, mandamento sobre mandamento, um pouco aqui, um pouco ali. Dai às mentes tempo para assimilar as verdades com que as alimentais. As crianças precisam ser atraídas para o Céu, não asperamente, mas com muita brandura. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 107.

O que Significa Ser Coobreiro de Deus

"Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados. Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós." Tito 2:6-8.

Onde há falta de sincera piedade, onde se negligencia a comunhão

Pág. 120

diária com Deus, o professor da Escola Sabatina será frio e enfadonho em sua maneira de ensinar. Suas palavras não terão o poder de alcançar o coração dos alunos.

Ser coobreiro de Deus quer dizer muito mais do que ir meramente à Escola Sabatina, assistir aos serviços da igreja, tomar parte no ensino e dar testemunho nos cultos.

Ser coobreiro de Deus significa ter o coração a arder no desejo de salvar os pecadores por quem Cristo morreu. Significa que estais cheios de solicitude pela obra, sempre planejando para tornar interessante vossa instrução, imaginando meios de vos conduzirdes com todas as faculdades que vos foram confiadas para o rumo em que Cristo conduz, a fim de que pessoas sejam ganhas para Seu serviço e a Ele ligadas pelos laços de Seu infinito amor.

Obra Manchada por Esforço não Consagrado

Os coobreiros de Deus não recuam diante de sagrados deveres; mas por amor de Cristo estão prontos a suportar o trabalho, a sofrer privação e vitupério. Estão prontos a

enfrentar repulsas, embora isso seja difícil de suportar e humilhante ao orgulho humano. Mas o coobreiro de Deus se lembrará de que Jesus suportou vergonha e insulto, rejeição e morte, para que pudesse salvar os perdidos. Qualquer parte que tenhamos na variada obra da seara

Pág. 121

significa sacrifício e renúncia. Significa que o tempo usualmente gasto em coisas de menor importância deve ser empregado no exame das Escrituras, para que saibais como trabalhar com êxito na obra que vos foi designada. Significa que deveis familiarizar-vos com o Espírito de Deus; que deveis orar muito, e pensar muito seriamente quanto ao modo de empregar toda capacidade de vossa natureza para levar avante com eficiência a obra de Deus.

Sois servos empregados por Deus, a quem Ele delegou a edificação de Seu reino na Terra, e deveis fazer vossa parte na salvação de pessoas por quem Cristo pagou o preço de Seu próprio sangue. É então coisa leve ensinar na Escola Sabatina, sem preparar o coração para essa momentosa tarefa? Muitos dos que se encarregam do ensino de uma classe, sentem por ela pouco interesse, e, por seus esforços não consagrados, danificam a sagrada obra. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 67 e 68.

A Tentação de se Exibir

Tanto na classe primária como nas mais adiantadas, os professores precisam buscar na grande fonte de luz e sabedoria, a graça e o poder para moldar o coração dos alunos e tratar inteligentemente com os resgatados pelo sangue de Cristo. Todo professor deve ser humilde seguidor dAquele que é manso e humilde de coração. Ninguém deve estudar ou trabalhar com o objetivo de ser considerado um mestre superior ou pessoa de extraordinária capacidade, mas para que

Pág. 122

possa levar pessoas a Cristo. Sobrevirão tentações para entremear o próprio eu em tudo o que for feito, mas assim fazendo, prejudicaremos nosso trabalho, pois isso nos levará a longas e secas observações que não hão de interessar ou beneficiar as crianças. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 35.

Serviço de Todo o Coração

O Senhor quer na Escola Sabatina professores que trabalhem de todo o coração, que pelo exercício aumentem seus talentos e progridam naquilo que já conseguiram. O Senhor quer, na igreja, cristãos que trabalhem, pois estes têm menos tentações que os que pouco fazem. Os que verdadeiramente crêem em Cristo, tornar-se-ão cooperadores de Deus. Serão dirigidos por Seu Espírito; suas afeições serão purificadas, controladas as suas paixões, e na vida aparecerão preciosos frutos para a glória de Deus; pois os que verdadeiramente crêem em Cristo, refletirão luz. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 53.

O Mais Alto Interesse

Os deveres dos professores são pesados e sagrados, mas parte alguma do trabalho é mais importante do que cuidar da juventude com solicitude amorável e terna, para que sintam que temos neles um amigo. Uma vez conquistada sua confiança, ser-vos-á fácil guiá-los, controlá-los, educá-los. Os santos motivos de nossos princípios cristãos devem ser introduzidos em nossa vida. A salvação de nossos alunos é a mais elevada tarefa

Pág. 123

confiada ao professor temente a Deus. Ele é obreiro de Cristo, e seus esforços especiais e determinados devem ser salvar pessoas da perdição e levá-las a Jesus Cristo. Deus requererá isto das mãos dos professores. Cada um deve levar uma vida de piedade, de pureza, de consciencioso esforço no desempenho de cada dever. Se o coração se inflama com o amor de Deus, haverá pureza de afeições, o que é essencial; as orações serão fervorosas e serão dadas fiéis advertências. Negligenciai isto e as pessoas sob vosso cuidado estarão em perigo. É preferível gastar menos tempo em longas pregações ou absorvente estudo, e atender a esses deveres negligenciados.

A Perseverança Recompensada

Depois de todos esses esforços, verificarão os professores que alguns sob seu cuidado desenvolverão caráter sem princípios. São frouxos na moral, como resultado, em muitos casos, do exemplo vicioso e negligente da disciplina paterna. E embora os professores façam tudo o que puderem para levar esses jovens a uma vida de pureza e santidade, falharão; e depois de paciente disciplina, afetuoso labor, ferventes preces, serão desapontados por aqueles de quem tanto esperaram. E além disto, experimentarão as reprovações dos pais por não terem sido capazes de conter a influência de seu próprio exemplo e insensata educação. O professor conhecerá tais desalentos depois de haver cumprido seu dever. Mas deve continuar trabalhando, confiando em que Deus trabalha com ele, varonilmente firme em seu posto, prosseguindo em fé. Outros serão salvos para Deus,

Pág. 124

e a influência destes será exercida para salvar a outros mais. Que os pastores, os professores da Escola Sabatina e de nossos colégios unam mente, coração e propósito na obra de salvar nossa juventude da ruína. Fundamentos da Educação Cristã, págs. 116 e 117.

Exaltar a Cristo

Quando devidamente representado pelos que pretendem ser cristãos, o evangelho é o poder e sabedoria de Deus. Cristo crucificado por nossos pecados deve humilhar em sua própria estima toda alma perante Deus. Cristo ressuscitado dos mortos, assunto ao Céu, nosso vivo Intercessor na presença de Deus, é a ciência da salvação que precisamos aprender e ensinar às crianças e jovens. Jesus declarou:

"E por eles Me santifico a Mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade." João 17:19. É esta a obra que sempre repousa sobre cada professor. Não se deve fazer nenhum trabalho descuidado nesse assunto, pois até a educação das crianças nas escolas diárias requer muito da graça de Cristo e subjugação do próprio eu. Os que são naturalmente irritáveis, facilmente provocados, e têm acariciado o hábito de criticar e pensar mal, deveriam ter outra espécie de trabalho, que não reproduza, nas crianças e jovens, qualquer de seus traços desagradáveis de caráter, pois aqueles custaram preço demasiado alto. O Céu vê na criança o homem ou mulher não desenvolvidos, com capacidade e poderes que, corretamente guiados e desenvolvidos, com sabedoria celestial, se tornarão o instrumento humano pelo qual as influências divinas podem cooperar, para serem

Pág. 125

coobreiros de Deus. As palavras ásperas e contínua censura confundem, mas não reformam a criança. Não pronuncieis essa palavra irritada; conservai vosso próprio espírito sob a disciplina de Jesus Cristo; aprendereis então a ter compaixão e simpatia para com os que estiverem sob vossa influência. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 87 e 88.

Classes Inteiras Convertidas

Como obreiros de Deus, precisamos mais de Jesus e menos de nós mesmos. Devemos sentir maior preocupação pelas pessoas, e orar diariamente pedindo que nos sejam concedidas força e sabedoria para o sábado. Professores, uni-vos com vossas classes. Orai com elas e ensinai-as a orar. Seja o coração abrandado e as petições curtas e simples, mas fervorosas. Vossas palavras sejam poucas e bem escolhidas; que aprendam de vossos lábios e exemplo, que a verdade de Deus se lhes deve arraigar no coração, ou não poderão resistir à prova da tentação. Precisamos ver classes inteiras de jovens convertidos a Deus e crescendo como membros úteis da igreja. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 19 e 20.

Não permitais que, durante a semana, toda vossa força e energia sejam empregadas em atividades mundanas e temporais, de maneira que, no sábado, não tenhais energia e força moral para dedicar ao serviço de Cristo. Há um sério trabalho a ser feito justamente agora. Não temos um momento sequer para usar de forma egoísta. Que tudo o que fizermos seja com o único fim de glorificar a Deus. Não descanseis até que toda criança de vossa classe seja levada ao conhecimento salvador de Cristo. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 14.

Pág. 126

A Maior Alegria

Aos que são aceitos como professores em nossas escolas está aberto um campo para ser trabalhado e cultivado para a semeadura da semente e a colheita do grão amadurecido. Que pode proporcionar maior satisfação do que ser cooperador de Deus na educação e preparo das crianças e jovens para amarem a Deus e guardarem os Seus mandamentos? Guiai a Jesus as crianças que estais instruindo na escola diária e na Escola Sabatina. Que vos pode dar maior gozo do que ver crianças e jovens seguindo a Cristo, o grande Pastor, o qual chama e as ovelhas e cordeiros ouvem-Lhe a voz e O seguem? Que pode espargir mais luz na alma do obreiro devotado e interessado do que saber que seu perseverante e paciente esforço não foi em vão no Senhor, e ver seus alunos com o brilho do Sol na alma porque Cristo lhes perdoou os pecados? Que pode dar mais satisfação ao coobreiro de Deus, do que ver crianças e jovens recebendo as impressões do Espírito de Deus em verdadeira nobreza de caráter e na restauração da imagem moral de Deus - crianças buscando a paz que vem do Príncipe da paz? Fundamentos da Educação Cristã, pág. 271.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal