Mexerico e Maledicência - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Mexerico e Maledicência

A Bíblia Responde > XV – Admoestações e Advertências
A Bíblia Responde - Capítulo nº 15 - Admoestações e Advertências

1. Que proíbe o nono mandamento?

"Não dirás falso testemunho contra o teu próximo." Êxo. 20:16.

O objetivo evidente deste mandamento é resguardar os direitos, os interesses e a reputação de nosso próximo, cuidando cada qual de sua conversação, e limitando as palavras ao que é estritamente verdadeiro.

2. Que instrução deu João Batista aos soldados que lhe pediram conselho?

"E ele lhes disse: A ninguém trateis mal nem defraudeis, e contentai-vos com o vosso soldo." S. Luc. 3:14.

3. Qual é uma das provas do homem perfeito?

"Se alguém não tropeça em palavra, o tal varão é perfeito, e poderoso para também refrear todo o corpo." S. Tia. 3:2.

4. Como ensinou Cristo a importância de cuidarmos de nossas palavras?

"Mas Eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo. Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado." S. Mat. 12: 36 e 37.

5. De quem são conhecidas todas as nossas palavras?

"Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, o Senhor, tudo conheces." Sal. 139:4.

6. De que são as palavras um indício?

"Do que há em abundância no coração, disso fala a boca." S. Mat. 12:34.

7. Que procedimento é condenado pelas Escrituras?

"Não andarás como mexeriqueiro entre os teus povos; não te porás contra o sangue do teu próximo; Eu sou o Senhor." Lev. 19:16.

8. A que são comparadas as palavras do mexeriqueiro?

"Os lábios do tolo entram na contenda, e a sua boca brada por açoites." Prov. 18:6.

9. Qual é o seu efeito?

"O que encobre a transgressão busca a amizade, mas o que renova a questão, separa os maiores amigos." Prov. 17:9.

10. Que aconteceria caso não houvesse mexeriqueiros?

"Sem lenha o fogo se apagará; e, não havendo maldizente, cessará a contenda." Prov. 26:20.

11. Entre outras coisas, que receava S. Paulo encontrar na igreja de Corinto?

"Porque receio que, quando chegar vos não ache como eu queria, e eu seja achado de vós como não quereríeis: que de alguma maneira haja pendências, invejas, iras, porfias, detrações, mexericos, orgulhos, tumultos." II Cor. 12:20.

12. Que resultado trazem a maledicência e males idênticos?

"Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros." Gál. 5:14 e 15.

13. Como pode ser repreendida a língua maldizente?

"O vento norte afugenta a chuva, e a face irada a língua fingida." Prov. 25:23.

14. A quem é feita a promessa de habitar no tabernáculo do Senhor, e morar no Seu santo monte?

"Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e fala verazmente, segundo o seu coração; aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhuma afronta contra o seu próximo." Sal. 15:2 e 3.

"Nunca armes tua língua duma espada para ferir a reputação de pessoa alguma," diz Kirkle. Noé Webster estabeleceu esta regra: "Na ausência de uma pessoa dela nada devemos dizer que não quereríamos dizer se estivesse presente." Quão poucos orientam sua conversação de acordo com esta regra! Ver Prov. 31:10 e 26. 

15. Que advertência é feita quanto a aceitarem-se acusações contra um pastor?

"Não aceites acusação contra o presbítero, senão com duas ou três testemunhas." I Tim. 5:19.

"Aquele que empresta ouvidos crédulos à calúnia, ou é pessoa de moral muito baixa, ou não possui mais compreensão que uma criança." — Menander. (Ver Parábolas de Jesus, págs. 45 e 46.)

16. Pode o homem, não transformado pela graça, dominar a língua?

"Porque toda a Natureza, tanto de bestas-feras como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se amansa e foi domada pela natureza humana; mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal." S. Tia. 3:7 e 8.

17. A fim de refrear-nos do mau uso da língua, qual deve ser nossa oração?

"Põe, ó Senhor, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios." Sal. 141:3.

18. Que voto fez Davi contra os agravos da língua?

"Eu disse: Guardarei os meus caminhos para não pecar com a minha língua; enfrearei a minha boca enquanto o ímpio estiver diante de mim." Sal. 39:1.
19. Qual é a cura certa para a maledicência?

"Amarás o teu próximo como a ti mesmo." S. Mat. 22:39. "Tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós." S. Mat. 7:12. "A ninguém infamem." Tito 3:2. Ver também S. Tia. 4:11.

20. A que se assemelham as palavras proferidas w devido tempo?

"Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo." Prov. 25:11.   
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal