Estudo 10 – O Santuário Terrestre - Estudos Bíblicos Adventistas

Ser Cristão, é ser Discípulo do Cristo.
Ir para o conteúdo

Estudo 10 – O Santuário Terrestre

24 Temas Cruciais
Série " 24 Temas Cruciais "
Objetivo principal: Obter compreensão sobre os principais rituais e seus significados, no santuário terrestre. Entender como isso tudo apontava para a morte de JESUS na cruz dói calvário.

Outros objetivos: Entender de que partes era composto o santuário e quais eram os seus rituais, e qual a função da Lei dos Dez Mandamentos quanto ao pecado e quanto ao perdão do pecado.

1. Para que finalidade DEUS pediu que fosse construído um santuário?

Êxodo 25:8 – Para servir de lugar de habitação de DEUS com o povo. “E me farão um santuário, para que Eu possa habitar no meio deles.”

2. Que havia no santuário?

Êxodo 40:18 “Moisés levantou o tabernáculo (uma tenda de tecido), e pôs as suas bases, e armou as suas tábuas, e meteu, nele, as suas vergas, e levantou as suas colunas.”

No santíssimoÊxodo 40:20 e 21 e 26:33 “Tomou o Testemunho, e o pôs na arca, e meteu os varais na arca, e pôs o propiciatório em cima da arca. Introduziu a arca no tabernáculo, e pendurou o véu do reposteiro, e com ele cobriu a arca do Testemunho, segundo o SENHOR ordenara a Moisés.” e “Pendurarás o véu debaixo dos colchetes e trarás para lá a arca do Testemunho, para dentro do véu; o véu vos fará separação entre o Santo Lugar e o Santo dos Santos.” O testemunho compunha as duas tábuas dos Dez Mandamentos, eles foram postos dentro de uma arca sobre a qual se manifestava a glória visível da presença de DEUS, e colocado no compartimento mais santo do santuário, chamado lugar santíssimo.

No SantoÊxodo 40:22, 24 e 26 “Pôs também a mesa na tenda da congregação, ao lado do tabernáculo, para o norte, fora do véu, … Pôs também, na tenda da congregação, o candelabro defronte da mesa, ao lado do tabernáculo, para o sul, e preparou as lâmpadas perante o SENHOR, segundo o SENHOR ordenara a Moisés. Pôs o altar de ouro na tenda da congregação, diante do véu,”. Haviam no lugar santo três mobílias: uma mesa, para sobre ela colocar os doze pães, um candelabro, com sete lâmpadas para iluminação permanente e um pequeno altar para incenso, esse ficava bem diante do lugar santíssimo.

No Pátio externo – Êxodo 40:29, 30 e 33 “pôs o altar do holocausto à porta do tabernáculo da tenda da congregação e ofereceu sobre ele holocausto e oferta de cereais, segundo o SENHOR ordenara a Moisés. Pôs a bacia entre a tenda da congregação e o altar e a encheu de água, para se lavar. Levantou também o átrio ao redor do tabernáculo e do altar e pendurou o reposteiro da porta do átrio. Assim Moisés acabou a obra. ” Do lado de fora da tenda, em frente a ela havia a bacia onde os sacerdotes lavavam as mãos e os pés, e um altar, onde eram oferecidos os sacrifícios dos animais mortos por símbolo da morte de JESUS. Ao redor do tabernáculo foi construída uma parede de proteção e para determinar os limites do espaço santo do tabernáculo.

3. Quem podia entrar nos diversos lugares, ou seja, no lwgar santo, no santíssimo, e no pátio?

No SantoHeb 9:6 (os sacerdotes) “Ora, depois de tudo isto assim preparado, continuamente entram no primeiro tabernáculo os sacerdotes, para realizar os serviços sagrados.” Os sacerdotes entravam todos os dias no lugar santo, para oferecer incenso diante do lugar santíssimo, pelos pecados dos que se arrependeram. Portanto, sempre que havia um arrependimento e uma oferta pelo pecado, um sacerdote entrava para oferecer incenso diante da Lei de DEUS, os Dez Mandamentos, que se encontravam na arca, no lugar santíssimo. Isso significava que havia arrependimento por ter ofendido algum dos itens daquela Lei, que estava no aposento onde DEUS manifestava Sua presença. Essa parte do ritual simbolizava o depósito dos pecados daqueles que se arrependiam, diante da Lei de DEUS. Apenas um dia por ano esses pecados eram dali retirados, e o lugar santíssimo era purificado dos pecados.

No SantíssimoHebreus 9:7 (o sumo sacerdote) “mas, no segundo, o sumo sacerdote, ele sozinho, uma vez por ano, não sem sangue, que oferece por si e pelos pecados de ignorância do povo.” No lugar santíssimo só o sumo sacerdote podia entrar, e apenas um dia ao ano. Esse era o dia da expiação, ou seja, o dia do juízo, ou ainda, o dia da purificação dos pecados depositados pelos sacerdotes todos os dias, cada vez que um pecador se arrependia e confessava seus pecados diante de DEUS e diante da Sua Lei eterna. É pela Lei que se conhece o que é e o que não é pecado, e é pela Lei que somos julgados. Foi obedecendo a essa Lei que JESUS pagou pelos nossos pecados ao morrer sem ter pecado, mas carregando nossa culpa. Nesse dia os pecados depositados ao longo de um ano, no lugar santíssimo, eram dali transferidos para fora do santuário, e nesse ritual impressionante, o santuário era purificado. Tudo isso que acontecia naquele santuário era simbólico, pois era uma representação do que haveria de acontecer no santuário celestial. Ao JESUS morrer, foi morto o verdadeiro cordeiro pelos pecados. Quando JESUS foi para o Céu, Ele entrou no lugar santo do santuário, e ali trabalhava como nosso sacerdote, ou como um advogado, pelo perdão dos pecadores que se arrependessem. Em 1844, quando terminaram os 2.300 anos, então se iniciou a purificação do santuário celeste, porque naquele ano não havia mais santuário terrestre. Portanto, desde 1844 estamos em tempo de juízo, e os nomes de cada pecador arrependido e que já está morto, está sendo revisado, para ver se houve arrependimento de todos os seus pecados, e se seu nome pode continuar no livro da vida. Se for aprovado, quando JESUS voltar, será levado para a vida eterna.

No pátio – Entravam os pecadores arrependidos, toda vez queriam ser perdoados de algum pecado.


4. Que atividades se faziam no santuário?

Sacrifício ContínuoNúmeros 28:1-4 “Disse mais o SENHOR a Moisés: Dá ordem aos filhos de Israel e dize-lhes: Da minha oferta, do meu manjar para as minhas ofertas queimadas, do aroma agradável, tereis cuidado, para mas trazer a seu tempo determinado. Dir-lhes-ás: Esta é a oferta queimada que oferecereis ao SENHOR, dia após dia: dois cordeiros de um ano, sem defeito, em contínuo holocausto; um cordeiro oferecerás pela manhã, e o outro, ao crepúsculo da tarde.” Esses eram os sacrifícios diários, contínuos. Simbolizavam a salvação à disposição de todos, isso era a PROVISÃO dada por DEUS. Os pecados que foram cometidos, e dos quais não se davam conta, ou se esqueciam por completo, eram assim cobertos por esses dois sacrifícios. Também davam cobertura para o pecador pelo tempo do mal cometido até fazer seu sacrifício.

Sacrifício pelo pecadoLevíticos 4:2, 27-31 “Fala aos filhos de Israel, dizendo: Quando alguém pecar por ignorância contra qualquer dos mandamentos do SENHOR, por fazer contra algum deles o que não se deve fazer, … Se qualquer pessoa do povo da terra pecar por ignorância, por fazer alguma das coisas que o SENHOR ordenou se não fizessem, e se tornar culpada; ou se o pecado em que ela caiu lhe for notificado, trará por sua oferta uma cabra sem defeito, pelo pecado que cometeu.” Simbolizava a transferência do pecado, do pecador para o santuário pelo sangue isso é a ABSOLVIÇÃO. Toda vez que um pecado era cometido,s cabia um sacrifício de um animal, para que simbolicamente esse pecado fosse perdoado.

Sacrifício da Expiação – Levíticos 16:5, 8, 15, 16 “Da congregação dos filhos de Israel tomará dois bodes, para a oferta pelo pecado, e um carneiro, para holocausto. .. Lançará sortes sobre os dois bodes: um, para o SENHOR (esse era símbolo de JESUS, que viria morrer pelos pecados), e a outro, para o bode emissário (esse era símbolo de satanás, que instigou os pecados, ou criou as condições para que houvesse pecado). .. Depois, imolará o bode da oferta pelo pecado, que será para o povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho; aspergi-lo-á no propiciatório e também diante dele. Assim, fará expiação (quer dizer, purificação) pelo santuário por causa das impurezas dos filhos de Israel, e das suas transgressões, e de todos os seus pecados. Da mesma sorte, fará pela tenda da congregação, que está com eles no meio das suas impurezas.” Simbolizava a remoção dos pecados , sua EXTINÇÃO. Nesse dia se purificava o santuário de todos os pecados cometidos ao longo do ano, e que foram diariamente, pelos sacrifícios, depositados diante da arca da aliança, onde se encontravam as duas tábuas da Lei dos Dez Mandamentos.
5. De que outro Santuário o Santuário da Terra era cópia?

Êxodo 25:40; Hebreus 8:5; 9:24 – Do Céu. “Vê, pois, que tudo faças segundo o modelo que te foi mostrado no monte.” e “os quais ministram em figura e sombra das coisas celestes, assim como foi Moisés divinamente instruído, quando estava para construir o tabernáculo; pois diz ele: Vê que faças todas as coisas de acordo com o modelo que te foi mostrado no monte.” e “Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus.” Ele era cópia do santuário celeste, onde se encontram os originais das tábuas dos Dez Mandamentos Céu (Apocalipse 11:19), e esses a Igreja Católica não conseguiu alterar, pois o papa não pode adentrar no, tirar DEUS do trono, e então mudar a Lei Universal.
6. Quando o Santuário da Terra perdeu a vigência?

S. Mateus 27:50-51 “E Jesus, clamando outra vez com grande voz, entregou o espírito. Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo; tremeu a terra, fenderam-se as rochas.” No exato momento em que JESUS expirou, cumpri-se o que os rituais de sacrifício de animais simbolizavam, ou seja, o verdadeiro cordeiro de DEUS fora morto. Então, daquele momento em diante, os rituais cerimoniais não faziam mais sentido, pois o véu que separava o lugar santo do santíssimo foi rasgado. Os sacrifícios não eram então mais necessários. A lei das ordenanças acabava de ser abolida, mas os Dez Mandamentos, pela morte de JESUS, acabava de ser revalida: JESUS não viria para tanto sacrifício para um dia depois a Lei ser anulada, como dizem muitas igrejas. Essa é uma afirmação grave, prevista em Daniel 7:25: “…e cuidará em mudar os tempos e a Lei” referindo-se a ‘besta’, poder religioso da Idade Média, que perseguiu os adoradores do Criador, e matou a muitos.

7. Que Santuário está em função atualmente?

Hebreus 8:1 e 2 (O do Céu) “Ora, o essencial das coisas que temos dito é que possuímos tal sumo sacerdote, que se assentou à destra do trono da Majestade nos céus, como ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem.” JESUS, que morreu por nós, Ele é que pode perdoar pecados perante DEUS, ninguém mais tem esse poder ou direito, nem na Terra, nem no Céu.

Sugestão: Confessar todos os pecados a DEUS, em nome de JESUS.

Perguntas complementares:

Por que há na terra sacerdotes recebendo confissão de pecados, se só JESUS pode fazer isso?

Que há por trás disso, e com que intenção?

Que valor tem tal perdão? DEUS o aceita?

Atente que são homens pecadores tão como os que se confessam.

Comentário anexo

O ritual do santuário terrestre pode ensinar muitas verdades sobre o plano da salvação. Por isso, é importante que seja estudado. Por ele entendemos como ocorre o processo de perdão, de purificação, e salvação.
Sikberto Renaldo Marks, professor titular, sénior, no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Voltar para o conteúdo