Descobertas Arqueológicas - Estudos Bíblicos Adventistas

Estudos Bíblicos Adventistas
Publicamos os seus estudos. Se tem estudos bíblicos adventistas, nós publicamo-los neste site. Saber mais...
Ir para o conteúdo

Descobertas Arqueológicas

Acerca da Bíblia
Os achados arqueológicos vêm fornecendo importantes dados aos pesquisadores da Bíblia.

“Ó Deus, as tuas mãos me criaram e me formaram; dá-me entendimento para que eu possa aprender as tuas leis” (Salmo 119.73)

As descobertas arqueológicas mais expressivas, no que diz respeito à Bíblia, ocorreram na era moderna, ou seja, nos três últimos séculos. Além de lugares que foram escavados, artefatos que foram desenterrados, muitos manuscritos bíblicos foram descobertos pela arqueologia.O maior achado arqueológico do século XX é a descoberta dos assim chamados “rolos do mar Morto” ou, então, documentos de Qumran. Esses documentos foram sendo encontrados ao longo de quase uma década (de 1947 até 1956), na região conhecida como deserto da Judeia, nas imediações do mar Morto, em Israel. Merece destaque o Primeiro Rolo de Isaías, uma cópia completa do texto de Isaías, que, segundo se estima, foi escrito no segundo século a. C.. Ao lado de outro rolo de Isaías, de um comentário sobre Habacuque e de um grande número de fragmentos de outros livros do Antigo Testamento, essas são as cópias mais antigas do texto hebraico que chegaram até nós.

Antes da descoberta dos rolos do mar Morto, os manuscritos hebraicos mais antigos de que se dispunha, contendo trechos do Antigo Testamento, datavam de mais ou menos 850 d.C.. Existem, porém, partes menores bem mais antigas como o Papiro Nash, do segundo século da era cristã. O Códice de Leningrado, copiado em 1008 d.C., é a mais antiga cópia contendo o Antigo Testamento na íntegra num volume só.Descobertas arqueológicas, como a dos manuscritos do mar Morto, continuam a fornecer novos dados aos tradutores e intérpretes da Bíblia. Elas têm ajudado a resolver várias questões a respeito de palavras e termos hebraicos e gregos, cujo sentido não era totalmente claro. Antes disso, os tradutores se baseavam em manuscritos mais “novos”, ou seja, em cópias produzidas em datas mais distantes da origem dos textos bíblicos.

Ilustração do Rolo de Isaías exposto no Santuário do Livro do Museu de Israel



Cavernas no Parque Nacional de Israel



Mulher observa descobertas do Mar Morto, realizadas entre 1947 e 1956, em exposição nas cavernas de Qumran. (Crédito da imagem: Grupo Keystone Shutterstock).



Manuscrito do Mar Morto exposto nas cavernas de Qumaran. Ali, há uma coleção de 972 textos da Bíblia Hebraica descoberta entre 1946-1956. (Crédito da imagem: Grupo Keystone Shutterstock).




Caverna dos Manuscritos do Mar Morto, conhecida como Caverna de Qumran 4, uma das cavernas em que os pergaminhos foram encontrados nas ruínas de Khirbet Qumran, no deserto de Israel.



Santuário do Livro, Museu de Israel


Este site foi criado por Joaquim Lima, com o software  Website X5 Evo e está alojado nos servidores da Amen.pt
Voltar para o conteúdo