Cristo e o Sábado - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Cristo e o Sábado

A Bíblia Responde > VX – O Sábado
A Bíblia Responde - Capítulo nº 09 - O Sábado

1. De que disse Cristo ser o Filho do homem Senhor?

“O Filho do homem até do sábado é Senhor.” S. Mat. 2:8. Ver também S. Mar. 2:28.

2. Quem fez o sábado?

“Todas as coisas foram feitas por Ele [Cristo, o Verbo]: e sem Ele nada do que foi feito se fez.” S. João 1:3.

3. Guardou Cristo o sábado, quando esteve no mundo?

“Entrou num dia de sábado, segundo o Seu costume, na sinagoga, a Ievantou-Se para ler.” S. Luc. 4:16.

4. Conquanto Senhor, Autor e Observador do sábado, como era Ele observado e espreitado nesse dia pelos escribas e fariseus?

“E os escribas e fariseus atentavam nEle, se o curaria no sábado, para acharem de que O acusar.” S. Luc. 6:7.

5. Com que pergunta enfrentou Jesus suas falsas ideias e raciocínio no tocante à guarda do sábado?

“Então Jesus lhes disse: Uma coisa, vos hei-de perguntar: É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal? Salvar a vida, ou matar?" S.Luc. 6:9.

6. Como manifestaram eles seu descontentamento ao curar Cristo no sábado o homem da mão mirrada?

“E ficaram cheios de furor, e uns com os outros conferenciavam sobre o que fariam a Jesus.” S. Luc. 6:ll. E tendo saído os Fariseus, tomaram logo conselho com os herodianos, contra Ele, procurando ver como 0 matariam." S. Mar. 326.

Iraram-se porque, além de os milagres realizados por Cristo haverem constituído prova de que Ele era de Deus, Ele não mostrara respeito algum pelo conceito que faziam da guarda do sábado, mas, muito ao contrário, que esse conceito era falso. O orgulho ferido, a ` obstinação e malícia, pois, combinaram-se para enchê-los de furor;  e saíram imediatamente e tomaram conselho com os herodianos seus inimigos políticos, com quem discordavam quanto a pagarem imposto a um poder estrangeiro -- para o propósito de combinar a morte de Cristo.

7. Por haver Jesus curado o homem no sábado, e ordenado que tomasse sua cama e andasse, que fizeram os judeus?

“Por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-Lo; porque fazia estas coisas no sábado.” S. João 5:l6.

Fato digno de nota é que por essa questão da devida observância do sábado os judeus não somente perseguiram a Jesus, mas tomaram logo conselho para O matarem. Nada menos que maldade, que finalmente culminou em Sua crucifixão, engendrou-se dessa questão da observância do sábado. Cristo não observava o sábado segundo as ideias por eles mantidas para a guarda desse dia, e por isso buscavam matá-Lo. Mas eles não estão sós. Muitos hoje acariciam 0 mesmo espírito. Porque alguns não concordam com suas ideias quanto ao dia de repouso, ou observância do sábado, buscam persegui-los e oprimidos - buscam fazer leis e alianças com os poderes políticos, para compelir ao respeito às suas leis.

8. Que lhes respondeu Jesus?

“E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e Eu trabalho também." S. João 5:17.

As operações comuns da Natureza, como se manifestam no divino e grandioso poder mantenedor, beneficente e curativo, prosseguem tanto no sábado como em qualquer outro dia; e cooperar com Deus e com a Natureza no serviço de curar, aliviar e restabelecer no dia do sábado, não pode, portanto, estar em desarmonia com a vontade divina, nem constituir violação da lei do sábado.

9. Que efeito produziu nos judeus esta resposta?

“Por isso pois os judeus ainda mais procuravam matá-Lo, porque não só quebrantava o sábado, [isto é, a seu juízo] mas também dizia que Deus era Seu próprio Pai, fazendo-Se igual a Deus.” S. João 5218.

10. Por haverem os discípulos colhido algumas espigas de trigo no sábado, a fim de matar a fome, que acusação contra eles fizeram os fariseus a Cristo?

“E os fariseus Lhe disseram: Vês? Por que fazem no sábado o que não é lícito?” S. Mar. 2:24.

11. Qual foi a resposta de Cristo?

“Mas Ele disse-lhes: Nunca lestes o que fez Davi quando estava em necessidade e teve fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na casa de Deus, no tempo de Abiatar, sumo-sacerdote, e comeu os pães da proposição, dos quais não era lícito comer senão os sacerdotes, dando também aos que com ele estavam? E disse-lhes: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.” S. Mar. 2:25-27.

12. Por haver Jesus curado uma mulher de sua enfermidade no sábado, que disse o dirigente de certa sinagoga?

“E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga, indignado porque Jesus curava no sábado, disse ã multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes pois ainda para serdes curados, e não no dia de sábado.” S. Luc. 13:14.

13. Que lhe respondeu Cristo?

“Respondeu-lhe, porém, o Senhor, e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber? E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?" S. Luc. 13:15 e 16.

14. Que efeito sobre o povo produziu a resposta de Jesus?

“E, dizendo Ele isto, todos os Seus adversários ficaram envergonhados, e todo o povo se alegrava por todas as coisas gloriosas que eram feitas por Ele.” S. Luc. 13:17.

15. Por que método de raciocino justificou Jesus os actos de misericórdia feitos no sábado?

“Qual será de vós o que, caindo-lhe num poço, em dia de sábado, o jumento ou boi, o não tire logo? E nada Lhe podiam replicar sobre isto.” S. Luc. 14:5 e 6. “Qual dentre vós será o homem que, tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por consequência, lícito fazer bem nos sábados." S. Mat. 12:11 e 12.

16. Em que perplexidade pôs os fariseus a operação de milagres de Cristo no dia de sábado?

“Então alguns dos fariseus diziam: Este homem não é de Deus; pois não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecado; fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles.” S. João 9:16.

A operação desses maravilhosos milagres de beneficência e misericórdia no sábado, era prova de que Cristo era de Deus, e que acertado era o Seu conceito da observância do sábado. Por esse milagres Deus estava apondo o selo de Sua aprovação sobre a concepção e ensinos de Cristo a respeito do sábado, bem como de maneira de observá-lo, e condenava assim a estreita e falsa visão dos fariseus. Daí a dissensão.

17. Segundo Isaías, que devia Cristo fazer com a lei?

“Engrandecerá Ele a lei, e a fará ilustre.” Isa. 42:21. (Versão Trinitária.)

Em nada, talvez, foi isto mais flagrantemente cumprido do que no assunto da observância do sábado. Por suas tradições numero-as, regulamentações e restrições insensatas, os judeus haviam feito do sábado um fardo, e tudo menos um deleite. Cristo removeu tudo isso, e por Sua vida e ensinos repôs o sábado em seu lugar e posição originais, como dia de adoração e beneficência, dia para nele fazerem-se actos de caridade e de misericórdia, bem como para empenhar-se na contemplação de Deus e em actos de devoção. Assim engrandeceu Ele a lei e a tornou ilustre. Um dos mais salientes aspectos de todo o ministério de Cristo foi este grande trabalho da reforma do sábado. Cristo não aboliu o sábado, não fez mudança do dia; mas libertou-o do monte de tradições, de falsas ideias e superstições com que havia sido sepultado, e pelas quais fora rebaixado e desviado do conduto de bênçãos e serviço prático para o homem, que estava no desígnio de seu Autor que ele fosse. Os fariseus haviam posto a instituição acima do homem e contra ele. Cristo inverteu a ordem e disse: “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.” Mostrou destinar-se ele a concorrer para a felicidade, conforto e bem-estar, tanto do homem como dos animais!

Devido às falsas ideias mantidas pelos judeus quanto ao sábado e sua observância, e o conflito que em consequência disso Cristo com eles mantinha, muitos dos seguidores de Cristo, um pouco mais tarde, foram induzidos ao erro de rejeitar o próprio sábado como sendo judaico, e, sem qualquer mandamento divino ou autoridade escriturística, a pôr em seu lugar outro dia.

18. Sabendo que os incrédulos judeus ainda se apegariam às suas falsas ideias referentes ao sábado, e que a fuga de Jerusalém e da Judeia nesse dia se realizaria com dificuldade, em vista da vindoura destruição e desolação da cidade e do povo, por que lhes mandou Cristo que orassem?

“E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado.” S. Mat. 24:20.

A experiência de Cristo com os judeus, o professo e escolhido povo de Deus naquele tempo, no tocante ao sábado, não é senão um tipo do que, conforme a profecia, deve ocorrer nos últimos dias. Já está mesmo a encontrar paralelo no movimento de imposição à observância do domingo por lei.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal