As quatro Grandes Monarquias - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

As quatro Grandes Monarquias

A Bíblia Responde > VI – A Segura Palavra dos Profetas
A Bíblia Responde - Capítulo nº 06 - A Segura Palavra dos Profetas

1. Em que tempo teve Daniel sua segunda visão?

"No primeiro ano de Belsazar, rei de Babilónia, teve Daniel, na sua cama, um sonho e visões da sua cabeça; escreveu logo o sonho, e relatou a suma das coisas." Dan. 7:1.

Isto é, no primeiro ano da atividade de Belsazar, que reinava com seu pai, Nabunaíde, em 540 antes de Cristo.

2. Que efeito produziu em Daniel esse sonho?

"Quanto a mim, Daniel, o meu espírito foi abatido dentro do corpo, e as visões da minha cabeça me espantavam." Dan. 7:15.

O efeito produzido pelo sonho de Daniel, nele próprio, notar-se- á, foi semelhante ao que sentiu Nabucodonosor com o seu sonho; perturbou-o. Ver Dan. 2:1.

3. Que pediu Daniel a um dos seres celestiais que, no sonho estavam perto dele?


"Cheguei-me a um dos que estavam perto, e pedi-lhe a verdade acerca de tudo isto. E ele me disse, e fez-me saber a interpretação das coisas." Dan. 7:16.

4. Que viu o profeta nessa visão?

"Falou Daniel, e disse: Eu estava olhando, na minha visão da noite, e eis que os quatro ventos do céu combatiam no mar grande." Dan. 7:2.

5. Qual foi o resultado dessa luta?

"E quatro animais grandes, diferentes uns dos outros, subiam do mar." Dan. 7:3.

6. Que representavam esses quatro animais?

"Estes grandes animais, que são quatro, são quatro reis, que se levantarão da terra!' Dan. 7:17.

O termo reis, aqui, como em Dan. 2:44, significa reinos, conforme está explicado nos versículos 23 e 24 do sétimo capítulo, sendo os dois termos usados indiferentemente nesta profecia.

7.Que é, em linguagem simbólica, representado por ventos?

Luta, guerra, comoção. Ver Jer. 25:31-33; 49:36 e 37.

Os ventos significam luta, e a guerra é evidente da própria visão. Como resultado da luta dos ventos, surgem e ruem os reinos.

8.Que é, em profecia, simbolizado por águas?

"E disse-me: As águas que viste, ... são povos, e multidões, e nações, e línguas." Apoc. 17:15.

No segundo capítulo de Daniel, sob a figura de uma estátua de homem, é feita um simples esboço político do surgimento e queda dos reinos terrestres, que precederiam o estabelecimento do eterno reino de Deus. No sétimo capítulo, são representados os governos terrestres, como são vistos à luz do Céu — sob os símbolos de animais bravios e ferozes — e em particular estes, oprimindo e perseguindo os santos do Altíssimo. Daí a diversidade nos símbolos usados para representar esses reinos.

9. A que se assemelhava o primeiro animal?

"O primeiro era como um leão, e tinha asas de águia; eu olhei até que lhe foram arrancadas as asas, e foi levantado da terra, e posto em pé como um homem; e foi-lhe dado um coração de homem." Dan. 7:4.
O leão, o primeiro desses quatro grandes animais, assim como a cabeça de ouro do sonho de Nabucodonosor, representa a monarquia babilónia— leão, rei dos animais, postado à cabeça de sua espécie, assim como o ouro o é para os metais. As asas de águia sem dúvida denotam a rapidez com que Babilónia estendeu suas conquistas sob Nabucodonosor, que reinou de 604 a 561 antes de Cristo. Esse reino foi vencido pelos medos e persas, em 538 antes de Cristo.

10. Por que foi simbolizado o segundo reino?

"Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal semelhante a um urso, o qual se levantou de um lado, tendo na boca três costelas entre os seus dentes; e foi-lhe dito assim: Levanta-te, devora muita carne." Dan. 7:5.

"Este foi o Império Medo-Persa, aqui representado sob o símbolo de um urso. . . . Por sua crueldade, e sede de sangue, são os medos e persas comparados a um urso, animal dos mais vorazes e cruéis." —Adam Clarke, comentando Dan. 7:5.

11. Por que foi simbolizado o terceiro império universal?

"Depois disto, eu continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo, e tinha quatro asas de ave nas suas costas; rinha também este animal quatro cabeças, e foi-lhe dado domínio." Dan. 7:6.

Se as asas da águia nas costas de um leão denotam rapidez de movimento no Império Babilónio (ver Hab. 1:6-8), quatro asas no leopardo devem denotar inexcedível celeridade de movimento no Império Grego. Isto se verifica ser historicamente verdadeiro.

"Maravilhosa foi a rapidez das conquistas de Alexandre na Ásia; ele se precipitou como uma torrente sobre o agonizante Império Persa, e toda oposição se tornou inútil. Os gigantescos exércitos mobilizados para enfrentá-lo dissolveram-se como a neve à luz do Sol. As batalhas de Grânico, em 334 A. C. Isso no ano seguinte, e Arbela, em 331 A. C., selaram o destino do Império Persa, e firmaram o amplo domínio dos gregos." — The Divine Pro¬gram of the Word's History, por H. Grattan Guinness, pág 308.

"Esse animal tinha também quatro cabeças." O Império Grego manteve sua união por apenas um curto período de tempo após a morte de Alexandre, ocorrida no ano 323, A. C. Passados vinte e dois anos de sua brilhante carreira, ou seja, no ano 301 A. C., foi o império dividido entre seus quatro melhores generais. Cassandro apossou-se da Macedónia e da Grécia, ao oeste; Lisímaco ficou com a Trácia, e partes da Ásia no Helesponto e Bósforo, ao norte; Ptolomeu obteve o Egito, a Líbia, a Arábia, a Palestina e a Cele- Síria, ao sul; e Seleuco ficou com todo o restante dos domínios de Alexandre, ao leste.

12.Como estava representado o quarto reino?

"Depois disto, eu continuava olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrível e espantoso, e muito forte, o qual tinha dentes grandes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez pontas." Dan. 7:7.

13.Que foi dito ser o quarto animal?

"Disse assim: o quarto animal será o quarto reino na Terra, o qual será diferente de todos os reinos; e devorará toda a terra, e a pisará aos pés, e a fará em pedaços." Dan. 7:23.

"Isto é por todos admitido como sendo o Império Romano. Ele foi terrível, espantoso e muito forte; .. . tornando-se, em realidade, o que os escritores romanos se comprazem em chamá-lo, o império universal." — Adam Clarke, comentando Dan. 7:7.

A vitória final dos romanos sobre os gregos, ocorreu na batalha de Pidna, em 168 A. C.

14.Que era representado pelas dez pontas?

"E, quanto às dez pontas, daquele mesmo reino se levantarão dez reinos." Dan. 7:24.

"O historiador Machiavelli, sem fazer a mínima referência a esta profecia, apresenta a seguinte lista de nações que ocuparam o território do império ocidental ao tempo da queda de Rómulo Augústulo (476 A. D.), último imperador de Roma; Lombardos, Francos, Burgundos, Ostrogodos, Visigodos, Vândalos, Hérulos, Suevos, Hunos e Saxónios: dez ao todo.

"Entre incessantes e quase incontáveis flutuações, os reinos da moderna Europa, desde o seu surgimento até ao presente, têm somado uma média de dez. Nunca mais, desde a subdivisão da velha Roma, se uniram eles num só império; nunca formaram unidades, como são os Estados Unidos da América. Nenhuma fórmula de orgulhosa ambição que visasse reunir os fragmentos dispersos, alcançou êxito; sempre que surgiram, foram invariavelmente reduzidos a pedaços." — The Divine Program of the World's History, por H. Grattan Guinness, págs. 318-321.

15.Que mudança viu Daniel operar-se nessas pontas?

"Estando eu considerando as pontas, eis que entre elas subiu outra ponta pequena, diante da qual três das pontas primeiras foram arrancadas; e eis que nesta ponta havia olhos como olhos de homem, e uma boca que falava grandiosamente." Dan. 7:8.

16.Que investigação da parte de Daniel mostra que o quarto animal e especialmente o que diz respeito à ponta pequena que nele há, constitui a feição mais importante desta visão?

"Então tive desejo de conhecer a verdade a respeito do quarto animal, que era diferente de todos os outros, muito terrível, cujos dentes eram de ferro, e as suas unhas de metal; que devorava, fazia em pedaços e pisava a pés o que sobrava; e também dai dez pontas que tinha na cabeça, e da outra que subia, de diante da qual caíram três, daquela ponta, digo, que tinha olhos, e uma boca que falava grandiosamente, e cujo parecer era mais firme do que o das suas companheiras." Dan. 7:19 e 20,

17.Quando deveria levantar-se a ponta pequena?

"E depois deles se levantará outro." Dan. 7:24.?

As dez pontas, como já foi mostrado, surgiram quando Roma, o quarto reino, foi dividida em dez reinos. Essa divisão se completou em 476 A. D. A ponta pequena deveria levantar-se depois deles, como diz o versículo citado.

18. Qual deveria ser o caráter da ponta pequena?

"O qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis." Mesmo versículo, últ. parte.

O poder que se levantou no Império Romano depois da queda de Roma, em 476, A. D., e que era inteiramente diferente de todos os dez reinos em que Roma foi dividida (visto que exigiu e exerceu autoridade espiritual sobre os dez reinos), e perante quem três dos outros reis — os hérulos, os vândalos e os ostrogodos — caíram, foi o papado.

Definidos que estão o lugar e o tempo do reino da ponta pequena, a análise de seu caráter é obra será feita nos estudos que se seguirão.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal