As Autoridades Constituídas - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

As Autoridades Constituídas

A Bíblia Responde > X – Liberdade Cristã
A Bíblia Responde - Capítulo nº 10 - Liberdade Cristã

1. Quem se deve sujeitar ao Governo civil?

"Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus." Rom. 13:1.

2. Por quem são instituídas as autoridades existentes?

"As potestades que há foram ordenadas por Deus." Rom. 13:1 (última parte.)

3. A quem resiste, quem se opõe à autoridade civil?

"Quem resiste à potestade resiste à ordenança de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação." Rom. 13:2.

"Isto é, quem se opõe ao Governo, quem promove anarquia e confusão, quem se opõe à execução normal das leis. Isto implica, porém, que essas leis não sejam tais que violem os escrúpulos de consciência ou se oponham à lei de Deus." — Dr. Alberto Barnes, em Rom. 13:2.

4. Que indicam as Escrituras quanto à devida espera do legítimo trabalho da autoridade civil?

"Porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más.... Se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus, e vingador para castigar o que faz mal." Rom. 13:3 e 4.

5. Para quem é feita a lei?

"Sabendo isto, que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados." I Tim. 1:9.

6. Como são os cristãos advertidos a respeitar a autoridade civil?

"Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam, e estejam preparados para toda a boa obra." Tito 3:1. "Sujeitai-vos pois a toda ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior; quer aos governadores, como por Ele enviados para castigo dos malfeitores, e para louvor dos que fazem o bem. ... Honrai a todos. Amai a fraternidade. Temei a Deus. Honrai o rei." I S. Ped. 2:13-17. "Por esta razão também pagais tributos; porque são ministros de Deus, atendendo a isto mesmo. Portanto dai a cada um o que deveis; a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra." Rom. 13:6 e 7.

7. Com que palavras mostra Cristo que há outro Governo além do de César, ou Governo civil?

"Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus." S. Mat. 22:21.

8. A quem, só, disse Cristo, deve ser prestado culto?

Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele servirás." S. Mat. 4:10.

9. Que decreto promulgou uma vez Nabucodonosor atinente ao culto?

"Ordena-se a vós, ó povos, nações e gente de todas as línguas: Quando ouvirdes o som da buzina, do pífaro, da harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles, e de toda a sorte de música, vos prostrareis e adorareis a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor tem levantado. E qualquer que se não prostrar e não a adorar, será na mesma hora lançado dentro do forno de fogo ardente." Dan. 3:4-6.

Esse decreto está em direto conflito com o segundo mandamento da lei de Deus, que proíbe fazer imagens, encurvar-se a elas e servi-las. Era de caráter religioso, idólatra e perseguidor.

10. Que resposta deram os três cativos hebreus, Sadraque, Me- saque e Abede-Nego, ao ser-lhes perguntado pelo rei por que não se haviam encurvado à estátua de ouro nem a adorado como fora ordenado?

"Responderam Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, e disseram ao rei Nabucodonosor: Não necessitamos de te responder sobre este negócio. Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; Ele nos livrará do forno de fogo ardente, e da tua mão, ó rei. E, se não, fica sabendo, ó rei que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste." Dan. 3:16-18.

11. Que fez então Nabucodonosor?

"Então Nabucodonosor se encheu de furor, e se mudou o aspecto de seu semblante contra Sadraque, Mesaque e Abedenego ... e ordenou aos homens mais fortes que estavam no seu exército, que atassem a Sadraque, Mesaque e Abedenego para os lançarem no forno de fogo ardente." Dan. 3:19 e 20.

12. Depois do Libertamento miraculoso deles, que disse Nabucodonosor?

"Falou Nabucodonosor, e disse: Bendito seja o Deus de Sadraque, Me- saque e Abede-Nego, que enviou o Seu anjo, e livrou os Seus servos, que confiaram n’Ele, pois não quiseram cumprir a palavra do rei, preferindo entregar os seus corpos, para que não servissem nem adorassem algum outro deus, senão o seu Deus." Dan. 3:28.

Guardando esses homens no meio do fogo, Deus demonstrava, perante todo o mundo, por intermédio daquele grande império, que a religião é um domínio fora da legítima esfera da autoridade civil; e que todo indivíduo deve ter liberdade de prestar culto ou não, segundo os ditames de sua consciência.

13. De que única maneira concluíram os invejosos príncipes e governadores ao tempo do rei Dario, que lhes seria possível efetuar a queda de Daniel?

"Então esses homens disseram: Nunca acharemos ocasião alguma contra este Daniel, se não a procurarmos contra ele na lei do seu Deus." Dan. 6:5.

14. Com esse fim, que decreto aconselharam eles ao rei que fizesse e assinasse?

"Que qualquer que, por espaço de trinta dias, fizer uma petição a qualquer deus, ou a qualquer homem, e não a ti, ó rei, seja lançado na cova dos leões." Dan. 6:7.
Ao contrário do decreto de Nabucodonosor, este decreto proibia o culto do Deus verdadeiro, e estava portanto, em divergência com o primeiro mandamento, que proibia o culto de qualquer outro deus além do verdadeiro. Como aquele porém, era de caráter religioso e perseguidor.

15. Como considerou Daniel esse decreto?

"Daniel, pois quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas da banda de Jerusalém), e três vezes ao dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como também antes costumava fazer." Dan. 6:10.

16. Que foi finalmente feito com Daniel?

"Então o rei ordenou que trouxessem a Daniel, e o lançaram na cova dos leões." Dan. 6:16.

17. Ao ir, na manhã seguinte à cova dos leões, que disse o rei Dario a Daniel?

"E, falando o rei, disse a Daniel: Daniel, servo do Deus vivo! dar- se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões?" Dan. 6:20.

18. Que respondeu Daniel?

"Então Daniel falou ao rei: Ó rei, vive para sempre! O meu Deus enviou o Seu anjo, e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante d’Ele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum." Dan. 6:21 e 22.
Uma vez mais foi demonstrado por um milagre extraordinário, operado à vista da maior nação então existente, que com a direção, prescrição, proscrição ou interferência com a religião ou seu livre exercício, aos governos civis não é muito oportuno ter parte, por isso que religião é assunto individual, e deve ser deixado aos ditames da consciência de cada pessoa.

19. Antes de apartar-Se de Seus discípulos, que mandamento lhes deu Jesus?

"Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura." S. Mar. 16:15.

20. Que contra-ordem logo em seguida lhes deu o sinédrio judaico?

"E, chamando-os, disseram-lhes que absolutamente não falassem, nem ensinassem, no nome de Jesus." Atos 4:18.

21. Que responderam Pedro e João?

"Respondendo, porém, Pedro e João, lhes disseram: Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus. Porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido." Atos 4:19 e 20.

22. Por continuarem a pregar no nome de Jesus, que fizeram aos apóstolos as autoridades judaicas?

"Levantando-se o sumo sacerdote, e todos os     que estavam com ele (e eram eles da seita dos saduceus), encheram-se de inveja [indignação] e lançaram mão dos apóstolos e os puseram na prisão pública." Atos 5:17 e 18.

23. Que fez, então, o anjo de Deus ?

"Mas de noite um anjo do Senhor abriu as portas da prisão, e, tirando-os para fora, disse: Ide e apresentai-vos no templo, e dizei ao povo todas as palavras desta vida." Atos 5:19 e 20.

Uma vez mais é demonstrado que os homens não têm o direito de interferir no livre exercício da religião, e que quando as leis dos homens interferem com a lei e a Palavra de Deus, devemos obedecer à última, quaisquer que sejam as consequências.

24. Sendo os apóstolos de novo chamados perante o concílio, que lhes perguntou o sumo sacerdote?

"Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina, e quereis lançar sobre nós o sangue desse Homem? Atos 5:28.

25. Que responderam os apóstolos?

"Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram : Mais importa obedecer a Deus do que aos homens." Atos 5:29.

"Deve ser prestada obediência a todos os governos humanos, em conformidade com a vontade de Deus. Esses governos são uma necessidade reconhecida, na natureza do caso, e sua existência está manifestamente de conformidade com a vontade divina. Daí que as conjeturas são sempre em favor da autoridade da lei civil, e qualquer recusa de obediência precisa ser baseada na prova moral de que a obediência será pecado.... É muito notório, para necessitar de discussão, que a lei de Deus, o grande princípio de amor, é suprema, e que 'mais importa obedecer a Deus do que aos homens' em qualquer caso de divergência entre a lei humana e a divina." — Moral PhiJosophy, por James H. Fairchild, págs. 178-181.

26. Que autoridade é superior às mais elevadas?

"Se vires em alguma província opressão de pobres, e a violência em lugar do juízo e da justiça, não te maravilhes de semelhante caso; porque o que mais alto é do que os altos para isso atenta ; e há mais altos do que eles." Ecles. 5:8.

Na tentativa de defender o direito do governo civil de impor observâncias religiosas por . meio de leis, perguntam algumas pessoas: "Não obedeceremos, então, aos poderes constituídos?" Respondemos : "Sim, quando estão em harmonia com os mais altos poderes existentes. Deus fez Sua lei para todo o Universo. Ele criou o homem; dá as generosas provisões da Natureza, e retém em Sua mão nosso fôlego e vida. Ele deve ser reconhecido e Sua lei honrada perante todos os grandes homens e as mais altas autoridades terrestres."

27. Por haver-se Mardoqueu recusado a prostrar-se perante Hamã conforme ao mandado do rei Assuero (Ester 3:1-6), que decreto conseguiu Hamã que o rei promulgasse e enviasse a todas as províncias do Império Persa?

"E as cartas se enviaram pela mão dos correios a todas as províncias do rei; que destruíssem, matassem, e lançassem a perder a todos os judeus desde o moço até ao velho, crianças e mulheres, em um mesmo dia, a treze do duodécimo mês (que é o mês de Adar), e que saqueassem o seu despojo. Uma cópia do escrito para que se proclamasse a lei em cada província, foi enviada a todos os povos, para que estivessem preparados para aquele dia." Ester 3:13 e 14.

Por orientação da Providência foi sustada a execução desse terrível decreto, e Hamã foi enforcado na própria forca que erguera para a execução de Mardoqueu. Ver Ester 7:9 e 10.

Deus pôs a espada (autoridade civil) nas mãos de César (Governo civil) para castigo dos malfeitores; mas quando a espada é erguida para matar o inocente, como no caso das crianças de Belém (S. Mat. 2:16.) ; ou para impor culto idólatra, como no caso dos três hebreus (Dan. 3) ou para proibir o culto do Deus verdadeiro, como no caso de Daniel (Dan. 6) ; ou para exterminar todo o povo de Deus, como no tempo de Ester; ou para impor a observância dum falso sábado, como no caso de todas as leis dominicais, isso constitui um abuso da autoridade civil, e não o seu uso próprio e justificado; e Deus honra os que, sob tais circunstâncias, em face da perseguição, opressão e morte ficam fiéis a Ele.

"O Governo nunca tira proveito da execução duma lei manifestamente injusta.... Os homens conscienciosos não são inimigos, mas amigos de qualquer governo, exceto duma tirania. São a sua força e não a sua fraqueza. Daniel, em Babilónia, ao orar desobedecendo à lei, foi o verdadeiro amigo e sustentáculo do Governo; ao passo que os que, pretendendo zelar pela lei e pela constituição, queriam matá-lo, eram verdadeiros inimigos do Governo. É somente quando o Governo ultrapassa sua esfera que entra em conflito com a consciência dos homens.

"Objeta-se, porém, que o exemplo é corruptor — que o homem mau violará uma lei boa, porque o homem bom recusa obediência a uma lei má. Os casos são justamente tão dissemelhantes quanto o direito e o erro, e qualquer tentativa para justificar um pelo outro é uma grande desonestidade. Inquestionavelmente o princípio pode ser abusado pelos maus, como poderá sê-lo qualquer verdade; mas o princípio da obediência cega à lei humana é falso, e não há necessidade de perversão para torná-la perniciosa....

"Deve ser sempre lembrado que a grande finalidade do Governo é o bem-estar humano, que a lei e a autoridade nada são em si mesmas, e que toda a sua santidade provém dos usos para que servem. A maquinaria do Governo tem valor somente pelo trabalho que faz; em si mesma, não tem valor algum.... A pior de todas as imperfeições tio Governo é deixar de atingir o resultado justo e bom." — Moral Philosophy, por James H. Fairchild, págs. 184-186.

Deus está acima de todos os governadores terrestres, e Sua lei acima de todas as leis humanas. Ele nos fez, e nós, portanto, devemos fidelidade a Ele de preferência a qualquer autoridade, potestade ou tribunal terrestre. E com isso não se diz nada em desabono da autoridade civil exercida em seu domínio próprio — as coisas civis.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal