A Mensagem final do Evangelho - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

A Mensagem final do Evangelho

A Bíblia Responde > VI – A Segura Palavra dos Profetas
A Bíblia Responde - Capítulo nº 06 - A Segura Palavra dos Profetas

Uma Advertência Contra o Falso Culto

1. Que indica que as mensagens da hora do juízo e da queda de Babilónia constituem partes integrantes de uma tríplice mensagem?

"E seguiu-os o terceiro anjo dizendo com grande voz." Apoc. 14:9, primeira cláusula.

2. Que apostasia da adoração de Deus é mencionada nesta mensagem?

"Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão." Mesmo versículo, última parte.

3. Qual será a sorte dos que, em vez de adorarem a Deus, adotam esse falso culto?

"Também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da Sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E o fumo do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso, nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome." Apoc. 14:10 e 11. Ver Isa. 33:13-17; 34:1-10; I Cor. 3:13; Heb. 12:29.

4. Como são descritos os que atendem a esta advertência?

"Aqui está a paciência dos santos: aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus." Apoc. 14:12.

5. Que descrição é feita da besta contra cuja adoração é dada esta mensagem final de advertência?

"E eu pus-me sobre a areia do mar, é vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfémia. E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio." Apoc. 13:1 e 2.

No animal surgido do mar se combinam os símbolos do sétimo  capítulo de Daniel, representando Grécia, Média-Pérsia e Babilónia. As palavras blasfemas por ele proferidas, a perseguição que moveu aos santos, o tempo que lhe foi designado (Apoc. 13:5-7) mostram que esse animal, sob uma das sete cabeças, é idêntico à ponta pequena da visão do capítulo sete de Daniel, a Babilónia moderna, o papado. Ver o estudo sobre o "Reino e Obra do Anticristo," pág. 179. O falso culto aqui chamado adoração da besta, é prestar ao papado a homenagem devida a Deus somente. O sistema de religião sancionado pelo papado é o paganismo de Babilónia, Média-Pérsia, Grécia e Roma, indicado pelo caráter híbrido da besta (Apoc. 13:2), disfarçado sob formas e nomes do cristianismo. O Pontífice máximo das antigas religiões pagãs teve sucessor no papa, que é a cabeça do sacerdócio romano, e que, no exercício de suas funções sacerdotais, arrebatou a mediação de Cristo e substituiu-a por um sistema de mediação humana, cumprindo assim a profecia relatada no oitavo capítulo de Daniel. Ver o estudo sobre "Os Símbolos Proféticos de Daniel 8," pág. 184.

6. Que desafio é feito pelos que adoram a besta?

"E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela?" Apoc. 13:4.

7. A soberania de quem é assim reptada?

"Ninguém há semelhante a Ti, ó Senhor: Tu és grande, e grande o Teu nome em força." Jer. 10:6. Ver também Sal. 71:19; 86:8; 89: 6 e 8.

8. Que especificações do "homem do pecado" são assim plenamente satisfeitas?

"Ninguém de maneira alguma, vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição; o qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus." II Tess. 2:3 e 4. Ver págs. 179 e 180.

9. Que deu Babilónia a beber a todas as nações?

"A todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição." Apoc. 14:8, última parte. Ver págs. 211-213. 1

10. Que terão de beber os que aceitam os ensinos de Babilónia, rendendo assim homenagem à besta?

"Também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da Sua ira." Apoc. 14:10, primeira parte.

O cálice de Deus, que contém o novo concerto no sangue de Cristo, e o cálice do vinho da ira de Babilónia são ambos oferecidos ao mundo. Beber do primeiro, isto é, aceitar o ensino do evangelho verdadeiro, é receber vida eterna; mas beber do vinho de Babilónia, isto é aceitar o evangelho falso ensinado pelo papado, resultará em beber o vinho da ira de Deus, do cálice de Sua indignação. O evangelho verdadeiro significa vida eterna; o falso evangelho significa morte eterna.

11. Sob que ameaçadora penalidade é imposto o culto à imagem da besta?

"E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse [decretasse] que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta." Apoc. 13:15.
Para explicação da imagem da besta, ver o estudo "Fazendo uma Imagem à Besta," pág. 227.

12. Que boicote universal será aplicado como tentativa de induzir todos a receberem o sinal da besta?

"E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas; para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome." Apoc. 13:16 e 17.

Concernente ao sinal da besta, ver o estudo sobre "O Selo de Deus e o Sinal da Apostasia," pág. 389.

13. Qual é o poder real que opera por meio da besta e de sua imagem, exigindo adoração?

"E o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio. Apoc. 13:2, última parte.

14. Quem é esse dragão?

"E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na Terra, e os seus anjos foram lançados com ele." Apoc. 12:9.

15. Como tentou o diabo induzir Jesus a adorá-lo?

"E o diabo, levando-O a um alto monte, mostrou-Lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. E disse-Lhe o diabo: Dar-Te-ei a Ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou a quem quero; portanto, se Tu me adorares, tudo será Teu." S. Luc. 4:5-7.

16. Como mostrou Jesus Sua lealdade a Deus?

"E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te, Satanás; porque está escrito'. Adorarás o Senhor teu Deus, e só a Ele servirás." S. Luc. 4:8.

A tríplice mensagem angélica de Apoc. 14:6-12 é proclamada em relação com as cenas finais do grande conflito entre Cristo e Satanás. Lúcifer procurou pôr-se no lugar de Deus (Isa. 14:12-14), e tomar para si a honra que é devida a Deus somente. A prova final é quanto aos mandamentos de Deus. Os que reconhecem a supremacia da besta, prestando obediência à lei de Deus mudada e violentada pelo papado, quando o exemplar verdadeiro foi claramente definido, adorarão, em assim fazendo, a besta e sua imagem, e receberão o seu sinal. Tais pessoas tomam o lado de Satanás em sua rebelião contra a autoridade de Deus.

17. Quantos cederão aos reclamos de culto à besta?

"E adoraram-na todos os que habitam sobre a Terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo." Apoc. 13:8.

18. Na mensagem da hora do juízo, a quem são todos chamados a temer, glorificar e adorar?

"Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-Lhe glória; porque vinda é a hora do Seu juízo. E adorai Aquele que fez o céu, e a Terra, e o mar, e as fontes das águas." Apoc. 14:7.

19. Quem cantará o cântico de Moisés e do Cordeiro junto ao mar de vidro?

"E vi como um mar de vidro misturado com fogo; e também os que saíram vitoriosos da besta, e da sua imagem, e do seu sinal, e do número do seu nome, que estavam junto ao mar de vidro, e tinham as harpas de Deus. E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e maravilhosas são as Tuas obras, Senhor, Deus Todo-poderoso! Justos e verdadeiros são os Teus caminhos, ó Rei dos santos. Quem Te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o Teu nome? Porque só Tu és santo; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de Ti, porque os Teus juízos são manifestos." Apoc. 15:2-4.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal