A Guerra de Satanás contra a Igreja - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

A Guerra de Satanás contra a Igreja

A Bíblia Responde > VI – A Segura Palavra dos Profetas
A Bíblia Responde - Capítulo nº 06 - A Segura Palavra dos Profetas

1. Por meio de que figura foi a igreja cristã representada pelo apóstolo S. João?

"E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a Lua debaixo de seus pés, e uma coroa de doze "estrelas sobre a sua cabeça." Apoc. 12:1.

Frequentemente nas Escrituras a palavra mulher representa a igreja. Ver Jer. 6:2; II Cor. 11:2. O Sol representa a luz do evangelho com que a igreja foi vestida no primeiro advento (I S. João 2:8); a Lua sob seus pés, a luz da velha dispensação que minguava; e as doze estrelas, os doze apóstolos.

"A mulher em sua inocência foi atacada pela antiga serpente, chamada o diabo, e Satanás". Depois daquele assalto traiçoeiro e rápida vitória o dragão foi repelido com as seguintes palavras: "Esta [a semente da mulher] te ferirá a cabeça, e tu Lhe ferirás o calcanhar."... No Apocalipse, a cena é transferida do Éden para o Céu, e novamente estão perante vós a mulher e a serpente, na mesma posição de antagonismo de antes, a serpente ainda como assaltante, apenas mais declaradamente agora   A mulher já não mais é personagem simples, infantil, mas um grande sinal; não caminha entre flores e árvores, mas entre os orbes celestes. Está vestida com o Sol, tendo a Lua sob os pés, e sobre a cabeça uma coroa com doze estrelas. Vedes nela representada a grande causa da verdade e justiça —ela é, de fato, a igreja de Deus de todos os tempos, a mulher cuja Descendência abençoa todas as nações da Terra."  C. M. Spurgeon, em O Púlpito Tabernáculo, 15 de março de 1896.

2. Como é descrita a igreja no primeiro advento?

"E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz." Apoc. 12:2.

A igreja passa por trabalhos e sofre dores enquanto gera Cristo e seus filhos, em meio a aflições e perseguições. Ver Rom. 8:19 e 22; I S. João 3:1 e 2; II Tim. 3:12.

3. Como são abreviadamente descritos o nascimento, obra e ascensão de Cristo?

"E deu à luz um Filho, um Varão que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu Filho foi arrebatado para Deus e para o Seu trono." Apoc. 12:5.

Especificamente isto se deve aplicar a Cristo (Ver Sal. 2:7-9); mas por meio d’Ele é também prefigurada a experiência do povo dê Deus, que finalmente no juizo terá parte com Cristo em reger as nações com vara de ferro (Apoc. 2:26 e 27), e, como Ele, quando Sua obra na Terra estiver terminada será arrebatado, ao Seu aparecimento, para Deus e Seu trono. I Tess. 4:15-17.

4. Que outro sinal, ou maravilha, apareceu no céu?

"E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas. E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do Céu, e lançou-as sobre a Terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o Filho." Apoc. 12:3 e 4.

5. Quem é dito ser esse dragão?

E foi precipitado o dragão, a antiga serpente, chamada o diabo, e Satanás, que engana todo o mundo." Apoc. 12:9.
Primariamente o dragão representa Satanás, o grande inimigo e perseguidor da igreja em todos os tempos. Mas em seus esforços para destruir o povo de Deus Satanás opera por intermédio de principados e poderes. Foi por meio de um rei romano, o rei Herodes, que ele procurou destruir Cristo logo que nasceu. S. Mat. 2:16. Roma deve ser, portanto, simbolizada pelo dragão. As sete cabeças do dragão são interpretadas por alguns como se referindo aos "sete montes" sobre que se acha edificada a cidade de Roma, por outros, como sendo as sete formas de governo por que Roma passou; e por outros ainda, e mais largamente, como as sete grandes monarquias que oprimiram o povo de Deus; isto é, Egito, Assíria, Caldeia, Pérsia, Grécia, Roma pagã, e Roma papal, em ambas as quais Roma está representada e incluída. Ver a pág. 225. Os dez chifres, como no quarto animal de Daniel 7, evidentemente se referem aos dez reinos em que Roma foi finalmente dividida, e identificam, assim, outra vez, o dragão com o poder romano.

6. Como é descrito o conflito entre Cristo e Satanás?

"E houve batalha no Céu: Miguel e os Seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhava o dragão e os seus anjos; mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos Céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada, o diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na Terra, e os seus anjos foram lançados com ele." Apoc. 12:7-9.

Esse conflito, iniciado no Céu, continua na Terra. Ao aproximar-se o fim do ministério de Cristo, disse Ele: "Eu via Satanás, como raio, cair do Céu." S. Luc. 10:18. "Agora é o juízo deste mundo: agora será expulso o príncipe deste mundo." S. João 12:31. Dos concílios dos representantes dos vários mundos a que Satanás, como príncipe deste mundo, era admitido (Jó 1:6 e 7; 2:1 e 2), foi ele expulso quando crucificou a Cristo, o Filho de Deus.

7. Que voz de triunfo foi ouvida no Céu em seguida à vitória ganha por Cristo?

"E ouvi uma grande voz do Céu, que dizia: Agora chegada está a salvação, e a força e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. Pelo que alegrai-vos, ó Céus, e vós que neles habitais." Apoc. 12:10-12.

8. Que ai é ao mesmo tempo proclamado ao mundo?

"Ai dos que habitam na Terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo." Apoc. 12: 12, última parte.

Isso não somente mostra que, desde a crucifixão de Cristo, Satanás sabe que sua sorte está selada, e que tem apenas limitado espaço de tempo para agir, mas revela também serem seus esforços confinados largamente, se não completamente, a este mundo, e concentrados sobre seus habitantes. Melhor do que muitos cristãos professos, Satanás sabe que o tempo é breve.

9. Que fez o dragão ao ser lançado na Terra?

"E, quando o dragão viu que fora lançado na Terra, perseguiu a mulher que dera à luz o Varão." Apoc. 12:13.
A perseguição aos cristãos começou com Roma pagã, mas foi continuada muito mais extensivamente sob Roma papal. S. Mat. 24:21 e 22.

10. Que definido período de tempo foi consignado a essa grande perseguição do povo de Deus sob Roma papal?

"E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente." Apoc. 12:14.

Este é o mesmo período mencionado em Daniel 7:25, e, como as dez pontas, identifica o dragão com o quarto animal de Daniel 7, e sua última obra com a da ponta pequena daquele mesmo animal.

Em Apoc. 13:5 Esse período é mencionado como "quarenta e dois meses," e, em Apoc. 12:6, como 1260 dias, ambos representando 1260 anos literais, o período consignado à supremacia de Roma papal. Começando em 538 A. D. terminou em 1798, quando o papa foi levado prisioneiro pelos franceses. Ver as notas às págs. 182 e 183. A mulher em fuga para o deserto descreve apropriadamente a condição da igreja durante aqueles tempos de cruel perseguição.

11. Qual era o desígnio de Satanás em assim perseguir a igreja?

"E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar." Apoc. 12:15.

12. Como foi obstada a inundação, e frustrado o desígnio de Satanás?

"E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca, e tragou o rio, que o dragão lançara da sua boca." Apoc. 12:16.
A fortaleza das montanhas, os retiros tranquilos, os vales solitários do sudoeste da Europa, por séculos abrigou muitos que recusaram obediência ao papado. Aqui, também, podem ser vistos os resultados da obra da Reforma do décimo sexto século, quando muitos dos governos da Europa vieram em auxílio da causa da Reforma, retendo a mão da perseguição e protegendo a vida dos que ousavam pôr-ic ao lado da verdade. O descobrimento da América, e o abrir-se desse continente como asilo aos oprimidos da Europa por aquele tempo, podem ser também incluídos no auxílio aqui referido.

13. Qual, disse Cristo, seria o resultado se os dias de perseguição não fossem abreviados?

"E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias." S. Mat. 24:22.

14. Empenhando-se ainda em perseguir, como manifesta Satanás sua inimizade contra a igreja remanescente?

"E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao resto da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo." Apoc. 12:17.

Justamente ao chegar o fim, Satanás perseguirá e procurará destruir o povo de Deus. Fará guerra especialmente contra o remanescente, ou última- porção da igreja. A obediência aos mandamentos de Deus e a posse do testemunho de Jesus, ou Espírito de Profecia (Apoc. 19:10), são-lhe grandemente ofensivas, e excitam- lhe ira intensa.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal