A Fé Salvadora - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

A Fé Salvadora

A Bíblia Responde > XII – Crescimento e Experiência Cristãs
A Bíblia Responde - Capítulo nº 12 - Crescimento e Experiência Cristãs

1. O que é a fé?

"A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem." Heb. 11:1.

2. Que importância tem a fé?

"Sem fé é impossível agradar-Lhe [a Deus]: porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe, e que é galar-doador dos que O buscam." Heb. 11:6.

3. Como somente, podemos verdadeiramente conhecer a Deus?

"Ninguém conhece o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho O quiser revelar." S. Mat. 11:27.

4. Em quem precisamos crer a fim de alcançar a salvação?

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigénito, para que todo aquele que nEle crê não pereça mas tenha a vida eterna." S. João 3:16.

5. Que repto faz o apóstolo S. Tiago no tocante à prova de termos a fé genuína?

"Mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras." S. Tia. 2:18.

6. Como mostrou Abraão ter fé perfeita em Deus?

"Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque. Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada. S. Tia. 2:21 e 22.

7. Por meia de que exemplo prático ilustra o apóstolo a diferença existente entre fé genuína e viva, e fé morta?

"Se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, e algum de vós lhe disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e lhe não derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?" S. Tia. 2:15 e 16.

8. Que necessidade há das obras para manter fé viva?

"Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta? ... porque, assim como o corpo sem o espírito [fôlego] está morto, assim também a fé sem as obras é morta." S. Tia. 2:20-26.

O apóstolo não estava neste passo defendendo a justificação ou salvação pela fé e obras, mas a fé viva — uma fé ativa, ou que se manifesta pelas obras.

"Há dois erros contra os quais os filhos de Deus — particularmente os que só há pouco vieram a confiar em Sua graça — devem, especialmente, precaver-se. O primeiro ... é o tomar em consideração as suas próprias obras, confiando em qualquer coisa que possam fazer, a fim de pôr-se em harmonia com Deus. Aquele que procura tornar-se santo por suas próprias obras, guardando a lei, tenta o impossível. Tudo que o homem possa fazer sem Cristo, está poluído de egoísmo e pecado. É unicamente a graça de Cristo, pela fé, que nos pode tornar santos.

"O erro oposto e não menos perigoso é o de que a crença em Cristo isente o homem da observância da lei de Deus; que, visto como só pela fé é que nos tornamos participantes da graça de Cristo, nossas obras nada têm que ver com nossa redenção.... A obediência — nosso serviço e aliança de amor —- é o verdadeiro sinal de discipulado.... É a fé, e ela só, que, em vez de dispensar-nos da obediência, nos torna participantes da graça de Cristo, a qual nos habilita a prestar obediência.

"Não ganhamos a salvação por nossa obediência; pois a .salvação é dom gratuito de Deus, e que obtemos pela fé. ...

"A chamada fé em Cristo que professa desobrigar os homens da obediência a Deus, não é fé, mas presunção." — Vereda de Cristo (edição encadernada), págs. 82-84.

Diz Lutero: "Se só Cristo tira o pecado, nós não podemos fazer isso por meio de todas as nossas obras. Mas as boas obras seguem a redenção, tão certamente quanto os frutos aparecem numa árvore viva." — History of the Reformation, de D'Aubigné, livro 2, cap. 6.

9. Que nos leva a fazer, a esperança da salvação?

"E qualquer que n’Ele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro." I S. João 3:3.

10. Sob que condição nos tornamos participantes de Cristo?

"Porque nos tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim." Heb. 3:14.

11. Sob que condição prometeu Deus purificar-nos de nossos pecados e no-los perdoar?

"Mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, Seu Filho, nos purifica de todo o pecado. ... Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo, para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça." I S. João 1:7-9.

A fé esclarecida no tocante ao que Deus fará por nós em qualquer assunto, precisa ser adquirida pelo que a Palavra de Deus diz concernente a esse ponto. Ninguém pode coerentemente esperar de Deus aquilo que Ele não prometeu. Esperar que Deus faça o que Ele nunca prometeu não passa de presunção. Ter firme confiança na promessa de Deus é fé; mas a presunção pode basear-se inteiramente no sentido ou no desejo. Não é possível, portanto, confiar no sentimento, tratando-se da fé. Pé é uma crença pura, uma confiança irrestrita, nas promessas de Deus, independentemente do sentimento. Esta perfeita confiança capacita a pessoa para vencer as dificuldades sob as mais probantes circunstâncias, mesmo quando os sentimentos estejam extremamente deprimidos.

12. Sobre que, então, se baseia a fé genuína e salvadora?

"De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus'' Rom. 10:17.

13. Qual foi a causa da submersão de S. Pedro, depois de ele já estar andando em direção ao Salvador sobre o martempestuoso?

"E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste?" S. Mat. 14:31.

O mar revolto fez com que Pedro duvidasse do poder da palavra de Cristo: "Vem."

14. De que temos o privilégio de andar repletos?

"Ora o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo." Rom. 15:13.
A fé pode ser fortalecida por exercício diário. Não é alguma coisa extraordinária, feita uma vez para sempre, que produz fé pessoal; mas a confiança em Deus, diária, simples, infantil, e a implícita obediência à Sua Palavra. Alguns fazem da fé um caso de dificuldade maior do que Deus lhes deseja impor, porque procuram abarcar demasiado duma só vez. Tomam sobre si as dificuldades do dia seguinte ou da semana vindoura, quando o Senhor supre força só para o dia de hoje. Quando o amanhã chegar, lutai com as obrigações a ele correspondentes, mas não antes que chegue. Devemos lembrar as preciosas promessas: "E a tua força será como os teus dias." Deut. 33:25. 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal