A Expiação, no Tipo e Antítipo - Estudos Bíblicos Adventistas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

A Expiação, no Tipo e Antítipo

A Bíblia Responde > VI – A Segura Palavra dos Profetas
A Bíblia Responde - Capítulo nº 06 - A Segura Palavra dos Profetas

1. Que ordenou Deus a Israel, por intermédio de Moisés?

“E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.” Êxodo 25:8

2. Que era oferecido no Santuário?

“Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à consciência, não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço;” Hebreus 9:9

3. Além do pátio, quantas partes tinha este santuário?

“Pendurarás o véu debaixo dos colchetes, e porás a arca do testemunho ali dentro do véu; e este véu vos fará separação entre o santuário e o lugar santíssimo, Êxodo 26:33

4. Que havia no primeiro compartimento do santuário?

“Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candelabro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o santuário.” Hebreus 9:2

“E pôs o altar de ouro na tenda da congregação, diante do véu,” Êxodo 40:26

“E farás um altar para queimar o incenso; de madeira de acácia o farás. O seu comprimento será de um côvado, e a sua largura de um côvado; será quadrado, e dois côvados a sua altura; dele mesmo serão as suas pontas. E com ouro puro o forrarás, o seu teto, e as suas paredes ao redor, e as suas pontas; e lhe farás uma coroa de ouro ao redor. Também lhe farás duas argolas de ouro debaixo da sua coroa; nos dois cantos as farás, de ambos os lados; e serão para lugares dos varais, com que será levado. E os varais farás de madeira de acácia, e os forrarás com ouro. E o porás diante do véu que está diante da arca do testemunho, diante do propiciatório, que está sobre o testemunho, onde me ajuntarei contigo.” Êxodo 30:1-6

5. Que havia no segundo compartimento?

“Mas depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o santo dos santos, Que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança;” Hebreus 9:3-4

“Tomou o testemunho, e pô-lo na arca, e colocou os varais na arca; e pôs o propiciatório em cima da arca. E introduziu a arca no tabernáculo, e pendurou o véu da cobertura, e cobriu a arca do testemunho, como o SENHOR ordenara a Moisés.” Êxodo 40:20-21

6. Porque nome, era conhecida a cobertura da arca?

“E porás o propiciatório em cima da arca, depois que houveres posto na arca o testemunho que eu te darei.” Êxodo 25:21

7. Onde devia Deus encontrar-se com Israel?

“E ali virei a ti, e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a arca do testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel.” Êxodo 25:22

8. Que havia na arca sob o propiciatório?

“Então escreveu nas tábuas, conforme à primeira escritura, os dez mandamentos, que o SENHOR vos falara no dia da assembleia, no monte, do meio do fogo; e o SENHOR mas deu a mim; E virei-me, e desci do monte, e pus as tábuas na arca que fizera; e ali estão, como o SENHOR me ordenou.” Deuteronómio 10:4-5

9. Quando oficiava o sacerdote no primeiro compartimento do santuário?

"Ora, estando estas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços." Heb. 9:6.

10. Quem, somente, entrava no segundo compartimento, quantas vezes, e para que fim?

"Mas no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo." Heb. 9:7.

11. Que foram instruídos a fazer, os pecadores desejosos de perdão?

"E se qualquer outra pessoa do povo da terra pecar por erro, fazendo contra algum dos mandamentos do Senhor, aquilo que se não deve fazer . .. então trará por sua oferta uma cabra fêmea sem mancha, pelo seu pecado que pecou. E porá a sua mão sobre a cabeça da expiação do pecado no lugar do holocausto." Lev. 4:27-29.

Assim sendo, se uma pessoa pecasse em Israel, violava um dos Dez Mandamentos que estavam na arca sob o propiciatório. Esses mandamentos são a base do governo de Deus. Violá-los é cometer pecado, e assim tornar-se sujeito à morte. I S. João 3:4; Rom. 6:23. Havia, porém, um propiciatório por sobre esses santos e justos mandamentos. Na dispensação de Sua misericórdia, Deus concede ao pecador o privilégio de confessar os pecados e apresentar um substituto para atender aos reclamos da lei, e assim alcançar misericórdia.

12. Que se fazia com o sangue da oferta?

"Depois o sacerdote com o seu dedo tomará do seu sangue, e o porá sobre as pontas do altar do holocausto; e todo o resto do seu sangue derramará à base do altar." Lev. 4:30.

Depois de a pessoa descobrir o seu pecado pela lei que requeria a morte do transgressor, primeiramente trazia a sua oferta, confessava então o seu pecado enquanto mantinha as mãos postas sobre a cabeça da vítima, e assim, em figura, transferia o seu pecado para a vítima; esta era em seguida morta no pátio, ou parte externa do santuário, e seu sangue posto nas pontas do altar e derramado à sua base. Mediante esse procedimento os pecados eram perdoados e, no serviço típico, transferidos para o santuário.

13. Depois de assim acumular os pecados por espaço de um ano, que cerimónia se realizava no décimo dia do sétimo mês de cada ano?

"E isto vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez do mês, afligireis as vossas almas, ... porque naquele dia se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossos pecados perante o Senhor." Lev. 16:29 e 30.
14. Como seria purificado o santuário, e que aconteceria
finalmente com os pecados do povo?

"E da congregação dos filhos de Israel tomará [o sumo sacerdote] dois bodes para expiação do pecado e um carneiro para holocausto. ... Também tomará ambos os bodes, e os porá perante o Senhor, à porta da tenda da congregação. E Arão lançará sortes sobre os dois bodes; uma sorte pelo Senhor, e a outra sorte pelo bode emissário." Lev. 16:5-8.

O termo hebraico que corresponde a bode emissário é Azazel. É usado como nome próprio e, segundo a opinião dos mais antigos hebreus e cristãos, refere-se a Satanás, ou ao anjo que se revoltou e persistiu em rebelião e pecado.

15. Que era feito com o sangue do bode sobre que recaía a sorte do Senhor?

"Depois degolará o bode da expiação, que será para o povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e o espargirá sobre o propiciatório, e perante a face do propiciatório." Lev. 16:15.

16. Por que era preciso fazer essa expiação?

"Assim fará expiação pelo santuário por causa das imundícias dos filhos de Israel e das suas transgressões, segundo todos os seus pecados; e assim fará para a tenda da congregação que mora com eles no meio das suas imundícias." Lev. 16:16.

Os pecados eram transmitidos ao santuário durante o ano pelo sangue das ofertas pessoais feitas diariamente à porta do tabernáculo. Ali ficavam até ao dia da expiação, quando o sumo sacerdote entrava no lugar santíssimo com o sangue do bode que por sorte coubera ao Senhor; e, levando para dentro os pecados acumulados durante o ano, perante o propiciatório, ali, em tipo, fazia expiação por eles, purificando assim o santuário.

17.Depois de haver feito expiação pelo povo no lugar santíssimo, que fazia então o sumo sacerdote?

"Havendo pois acabado de expiar o santuário, e a tenda da congregação, e o altar, então fará chegar o bode vivo. E Arão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniquidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, segundo todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á ao deserto, pela mão dum homem designado para isso." Lev. 16:20 e 21.

A oferta do bode do Senhor purificava o santuário. Por essa oferta, os pecados do povo, transferidos para ali durante o ano, eram, em tipo, expiados; mas por essa oferta não ficavam liquidados, nem destruídos. O bode emissário, que simbolizava Satanás, o grande tentador e originador do pecado, era levado ao santuário, e sobre sua cabeça eram postos todos aqueles pecados já expiados. O envio do bode para o deserto, separava para sempre do povo os pecados. (Sobre o bode emissário, ver M'Clintock e Strong, Cyclopaedia of Biblical, Theological, and Eclesiastical Literature, Vol. 9, págs. 397 e 398; The Enciclopedic Dictionary, Vol. 1, pág. 297; The New SchaffHerzog Encyclopedia of Religious Knowledge, Vol. 1, pág. 389.

18. Que aconteceria finalmente com os pecados do povo?

"Assim aquele bode levará sobre si todas as iniquidades deles à terra solitária; e enviará o bode ao deserto." Lev. 16:22.

19. Que eram esse santuário terrestre e sua série de cerimónias?

"Que é uma alegoria para o tempo presente." Heb. 9:9.

20. De que santuário, ou tabernáculo, é Cristo o ministro?

"Ministro do santuário, e do verdadeiro tabernáculo, o qual o Senhor fundou, e não o homem." Heb. 8:2.

21. De que era somente um tipo o sangue de todos os sacrifício da primitiva dispensação?

"Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por Seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efectuado uma eterna redenção." Heb. 9:12. Ver Efés. 5:2.

Por meio de sacrifícios e ofertas, levados ao altar do santuário terrestre, o crente arrependido devia confiar nos méritos de Cristo, o Salvador vindouro. Dessa maneira, e somente assim, havia neles qualquer virtude.
"E Jesus, clamando outra vez com grande voz, rendeu o espírito. E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo." S. Mat. 27:50 e 51.

O tipo encontrara o antítipo; a sombra alcançara a substância. Cristo, o grande sacrifício, fora morto, e estava para entrar em Sua obra final como nosso grande Sumo Sacerdote no santuário celestial.

O serviço sacerdotal no santuário terrestre era típico do de Cristo no santuário celestial. No terrestre, a expiação era efetuada no último dia do ano cerimonial. Todos quantos não tinham então os pecados expiados eram "extirpados," e o arraial era purificado do pecado. O dia da expiação era virtualmente um dia de juízo para Israel, e as pessoas cujos pecados haviam sido expiados estavam isentas de pecado, e podiam participar dos serviços do novo ano, puros à vista de Deus. Esse serviço era realizado de ano a ano. No santuário celestial, o sacrifício é oferecido uma só vez; e só uma única expiação pode ser feita, e deve ocorrer no tempo por Deus para isso destinado. E quando for feita a grande expiação ou purificação do santuário celestial, o povo de Deus estará para sempre livre de pecado, e o destino de todos estará para sempre selado. Ver Apoc. 22:11. Esse dia, como o seu tipo, será um dia de juízo.

O ciclo de serviço no santuário terrestre era o serviço de Deus. Relacionava-se com os pecados do povo; não que o sangue dos sacrifícios ali oferecidos pudesse por si tirar-lhe os pecados, pois é expressamente dito que não poderia. Heb. 10:4. Podia, no entanto, mostrar a sua fé na eficácia do sangue de Cristo a ser vertido, e para o qual o serviço do santuário devia dirigir-lhes constantemente o pensamento. O serviço ali era um tipo, ou sombra, da obra expiatória de Cristo, e, como tal, possui uma significação que não pode ser encarecida demasiado. Da correta compreensão do tipo depende a correta compreensão do antítipo. Todo o serviço do santuário era uma lição objetiva da mais importante e vital verdade evangélica — a da salvação do homem e da expiação do pecado.

23. Que relação mantém o santuário terrestre para com o celestial?

"Os quais servem de exemplar e sombra das coisas celestiais, como Moisés divinamente foi avisado, estando já para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo que no monte se te mostrou." Heb. 8:5.

24. Por meio de que comparação se mostra que o santuário celestial será purificado?

"De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no Céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes." Heb. 9:23.

25. Ao terminar Cristo Sua obra mediadora no santuário celestial, que decreto será expedido?

"Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda." Apoc. 22:11.

26. Que acontecimento está directamente ligado ao apagamento do pecado e ao final refrigério da presença de Deus?

"Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor e envie Ele a Jesus Cristo, que já dantes foi pregado,?

O qual convém que o Céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os Seus santos profetas, desde o princípio." Atos 3:19-21.

27. De conformidade com a visão do juízo apresentada a Daniel, que deverá ser dado a Cristo enquanto Ele ainda estiver perante o Pai ?
"Eu estava olhando ... e eis que vinha ... um como o Filho do
homem; e dirigiu-se ao Ancião de dias, e O fizeram chegar até Ele. E foi-Lhe dado o domínio e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas O servissem." Dan. 7:13 e 14.

28. Que acontecerá quando o Senhor descer do Céu?

"Porque o mesmo Senhor descerá do Céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor." I Tess. 4: 16 e 18.

29. Que declaração feita logo após a proclamação mencionada em Apoc. 22:11, indica que a obra do juízo estivera em andamento antes de Cristo vir?

"E eis que cedo venho, e o Meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra." Apoc. 22:12.

O serviço do santuário típico cumpre-se perfeitamente na obra de Cristo. Assim como o dia de expiação da primitiva dispensação era realmente um dia de juízo, também a obra expiatória de Cristo incluirá a investigação dos casos de Seu povo, anteriormente à Sua segunda vinda, quando virá para levá-los para Si.
30. Existe um tempo determinado para a purificação do santuário ?

"E ele me disse: Até duas mil trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado." Dan. 8:14.

31. Como é possível saber-se que isso não se refere ao santuário terrestre?

"Entende, filho do homem, porque esta visão se realizará no fim do tempo." Dan. 8:17.

O período profético dos 2300 dias (anos) estende-se até 1844 A. D., ao passo que os serviços determinados por Deus no santuário terrestre cessaram na cruz (Dan. 9:27; S. Mat. 27:50 e 51), e o próprio santuário foi destruído em 70 A. D., quando Tito capturou Jerusalém. Para explicação do período aqui mencionado, ver o estudo anterior.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal